Assim como os deputados, funcionários da ALPB ajudarão mensalmente o Hospital Napoleão Laureano e a FAP; entenda

Deputado Adriano Galdino (Foto: Ascom/ALPB)

Os deputados estaduais demonstraram, na sessão ordinária da íltima terça-feira (27), da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), preocupação com a situação do Hospital Napoleão Laureano, referência na Paraíba no tratamento de pessoas com câncer. A unidade, de acordo com os parlamentares, tem enfrentado dificuldades com a queda no repasse de recursos por parte do Governo Federal, através do Sistema único de Saúde (SUS).

O presidente da ALPB, Adriano Galdino, ressaltou que todos os deputados contribuem mensalmente com o Hospital Napoleão Laureano e que a Casa tem o interesse de ampliar essa contribuição para todo o corpo e servidores. “Colocarei em plenário e farei uma resolução autorizando o débito em conta de todos os funcionários da Casa no valor de R$ 5. Vamos dar uma contribuição em torno de R$ 15 mil por mês, além do que os deputados já repassam mensalmente cerca de R$ 300 cada”, ressaltou o presidente que pontuou também que a ALPB ajuda a FAP de Campina Grande.

O deputado Wilson Filho defendeu que a ALPB possa formar uma comissão e, esta, vá a Brasília para audiência com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, com o objetivo de apresentar demandas e cobrar informações que possam contribuir com o funcionamento do Hospital. “O Napoleão Laureano no momento em que dá esse grito, é porque não há mais condições de manter seus serviços da forma que está. É importante registrar que todos nós, aqui da Assembleia, damos uma contribuição mensal nos nossos contracheques, é simbólico, mas a ajuda de cada um faz a diferença”, pontuou Wilson.

A deputada Dra. Paula concordou com a iniciativa proposta pelo deputado Wilson Filho de ir a Brasília apresentar demandas do Napoleão Laureano ao Ministério da Saúde, com o intuito de obter um aumento no valor dos recursos repassados ao hospital.

“Desde 2010, a unidade de saúde vem se sustentando apenas com R$ 4 milhões, mesmo com uma despesa de R$ 5,5 milhões. Hoje, 70% dos portadores de câncer na Paraíba são tratados no Hospital Napoleão Laureano”, afirmou.

A deputada acrescentou que de 2015 a 2018 o hospital realizou 667 mil atendimentos ambulatoriais, 20 mil internações, 21 mil cirurgias, 137 mil sessões de quimioterapia, 681 mil sessões de radioterapia, 91 mil exames de diagnósticos por imagem. “O saldo negativo atualmente no hospital é de R$ 2,6 milhões e não é possível continuar recebendo apenas R$ 4 milhões”, declarou.

Também defenderam ações que possam contribuir com as atividades do Hospital Napoleão Laureano os deputados Buba Germano, Jeová Campos, Ricardo Barbosa, Cida Ramos, Estela Bezerra e Pollyanna Dutra. “Eu gostaria que essa Casa participasse mais do processo de salvar o Laureano”, declarou Barbosa.

VEJA TAMBÉM:

Médica paraibana mantém centro que oferece atendimento gratuito a famílias de crianças com microcefalia

Compartilhar