Deputado do PSL vai ao MPE falar sobre “laranja” do partido

Moacir – Foto: ALPB

Depois da suplente de deputada federal Pâmela Borio (PSL) falar sobre Julian Lemos (PSL), que é presidente estadual e vice-presidente nacional do partido, com um esquema de candidaturas laranjas na sigla, agora é a vez do deputado estadual Moacir Rodrigues (PSL) comentar sobre o caso.

O parlamentar estadual declarou que deverá prestar um depoimento no Ministério Público Eleitoral (MPE) sobre o “laranjal” no Estado.

“Vou fazer o depoimento no Ministério Público Eleitoral. Laranjas do PSL”, afirmou Moacir.

Sem citar nomes ou sugerir possíveis envolvidos, o deputado se limitou a dar esta informação.

O parlamentar também não comentou sobre a possível data que deve acontecer o depoimento ao órgão eleitoral.

Ilmara Morais foi candidata a deputada estadual pelo PSL nas eleições de 2018, alcançado 4.740 votos. Porém, o que chama atenção na candidatura da empresária de Patos, de 33 anos, é a grande quantia de recursos recebidos por ela provenientes dos Diretórios Estadual e Nacional do partido. Com isso, há indícios de que o PSL na Paraíba tenha produzido uma ‘candidatura laranja’, e Ilmara Morais foi a escolhida para ser a central dos recursos.

No total, Ilmara recebeu R$ 207,2 mil para sua campanha. Desse montante, R$ 177,9 mil veio do Diretório Estadual do PSL e R$ 24 mil do Diretório Nacional. Os valores repassados somente pelo partido representam 97,47% dos recursos obtidos por ela para toda campanha eleitoral. A candidata ainda recebeu R$ 3,6 mil de Julian Lemos (PSL), que foi eleito deputado federal, e R$ 1,5 mil de Lucélio Cartaxo, candidato a governador.

A então candidata chegou a devolver recursos para o partido, serviu como uma espécie de “central” para repasse a outros candidatos nanicos do PSL no estado. Assim como comprou grande quantia de materiais gráficos a poucos dias da eleição, e apresentou contradições entre empresa e serviço contratado.

Paraíba Já

Compartilhar