Desempregado há dois anos, homem sai às ruas de João Pessoa com cartaz que pede ‘trabalho digno’

Foto: Luana Menezes/Portal Correio

Entre os mais de 13 milhões de pessoas desempregadas no país, registradas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), está José Evangelista de Souza Filho, de 43 anos. Sem alternativa e depois de tanta procura, ele teve uma ideia criativa e decidiu recorrer aos semáforos de João Pessoa para estampar a necessidade. Mas ao contrário do que muitos podem estar pensando, José não está lavando parabrisas de carros, nem pedindo esmolas. Ele está em busca de um emprego digno, como descreve no cartaz que exibe.

José Evangelista tem enfrentado calor e cansaço em busca de uma chance para viver ‘dignamente’. Segurando um cartaz no semáforo localizado no cruzamento das Avenidas Vasco da Gama e João Machado, no bairro de Jaguaribe ele grita em silêncio e faz o apelo: ‘Preciso de um trabalho digno’.

Há dois anos, Evangelista veio do Mato Grosso para Paraíba. Ele trabalhava numa empresa, como operador de máquinas,e desde que saiu de lá não conseguiu um novo emprego. “Não consegui me recolocar, por ‘n’ motivos. Primeiro porque o mercado está muito difícil, segundo as políticas internas tanto do prefeito como do governador não ajudam. E terceiro porque quando você vai distribuir teus currículos, as pessoas te tratam como você tivesse pedindo um favor”, falou.

Em função disso, Evangelista decidiu ir às ruas. Com reação de perseverança, ele continua: “Eu tenho raça! A palavra mais simples para definir o que tenho. Disposição e dedicação. E se for necessário passar um mês aqui, eu fico, ou até aparecer uma oportunidade de emprego”, ressalta.

Na busca por emprego, Evangelista desabafa e conta como está a vida sem a oportunidade que tanto deseja. “Tenho contas para pagar como todo mundo, tenho uma filha para pagar pensão… Quem segura as pontas lá de casa é minha irmã e minha mãe, então quanto mais rápido eu arrumar emprego, mais rápido eu ajudo elas”, desabafa.

Evangelista mora no bairro Cristo Redentor, na Zona Oeste de João Pessoa. Ele confessa que não tem preferências e está aberto as oportunidades que surgirem, sejam quais forem, basta entrar em contato pelo telefone (83) 98624-9419.

Redação Paraíba Debate com informações do Portal Correio

VEJA TAMBÉM:

Em Esperança, crianças e adolescentes participam de caminhada contra a violência sexual

Compartilhar