Em carta, Lula afirma: “Não troco minha dignidade pela minha liberdade”

Foto: Ricardo Stuckert

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) resiste à pressão dos procuradores da Lava Jato, que querem mandá-lo para o regime semiaberto. Ele se reuniu nesta segunda-feira (30) com seus advogados e entregou a eles uma carta na qual diz que não quer trocar liberdade por dignidade.

“Tudo que os procuradores da Lava Jato deveriam fazer é pedir desculpas ao povo brasileiro, aos milhões de desempregados e à minha família, pelo mal que fizeram à democracia, a Justiça e ao país”, escreveu Lula.

“Quero que saibam que não aceito barganhar meus direitos e minha liberdade. Já demonstrei que são falsas as acusações que me fizeram. São eles e não eu que estão presos às mentiras que contaram ao Brasil e ao mundo. Diante das arbitrariedades cometidas pelos procuradores e por Sergio Moro, cabe agora à Suprema Corte corrigir o que está errado, para que haja Justiça independente e imparcial. Como é devido a todo cidadão. Tenho plena consciência das decisões que tomei nesse processo e não descansarei enquanto a verdade e a justiça não voltarem a prevalecer”, completou o ex-presidente.

LEIA A CARTA NA ÍNTEGRA:

VEJA TAMBÉM:

Ministério da Educação desbloqueia R$ 2 bi para instituições

Compartilhar

Enquete

Cotações

  • Dólar TurismoR$ 4,2300
  • LibraR$ 5,2414
  • Peso Arg.R$ 0,0691
  • BitcoinUS$ 7.469,0000

Denuncie pelo WahtsApp