Eneida Agra é homenageada em sessão proposta pelo vereador Murilo Galdino, em alusão aos 40 anos do Festival de Inverno

A sessão especial em homenagem aos 40 anos do Festival de Inverno de Campina Grande (FICG), realizada nesta terça-feira na Câmara Municipal se transformou numa aula de resistência cultural. Com a participação de vários artistas e representantes culturais, o destaque ficou por conta da fundadora e diretora geral do evento, a presidente do Solidarium – Instituto de Cultura, Arte e Cidadania. Em sua fala na tribuna, Eneida emocionou-se por várias vezes e emocionou os participantes, fazendo uma espécie de cronologia do Festival.SESSÃO ESPECIAL-1

De acordo com o autor da propositura, o vereador Murilo Galdino (PSB), a história do Festival de Inverno se confunde coma a da cidade e até mesmo do Estado. “Uma história de lutas, resistência, mas acima de tudo de glórias, de cultura e de participação ativa em nossa cidade. Essa justa reverência trouxe inúmeros ícones de diversas áreas para o legislativo campinense promovendo debates e saudosas manifestações culturais que só engrandecem Campina. Parabéns a todos que fazem cultura na nossa cidade e em todo o Estado, parabéns a Eneida Agra Mara cajá pela bravura ao longo desses 40 anos.”,SESSÃO ESPECIAL-2

Ao receber a medalha de honra ao mérito do vereador Murilo Galdino, Eneida citou o patrono da Câmara, Félix de Souza Araújo: “Esta terra de bravos não será terra de escravos, nem reinado de opressão.” Após encerrar seu discurso, Eneida convidou os participantes a rezarem de mãos dadas, o Pai-Nosso, uma oração que segundo ela, está acima de qualquer credo religioso.

O FICG acontece tradicionalmente durante o mês de agosto e anualmente enfrenta problemas financeiros. No início do mês de julho deste ano, a comissão organizadora emitiu uma nota através da qual expõe as dificuldades para a realização da edição, que apesar dos obstáculos foi uma das mais prestigiadas. Dos dias 15 a 23 de agosto, o evento foi realizado na Praça da Bandeira com registro recorde de público. De acordo com o documento assinado por Eneida este ano, o FICG enfrenta dificuldades para obter recursos em nível estadual e federal.

Da redação.

 

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *