EXEMPLO: Escola municipal das Malvinas pratica a sustentabilidade e ganha prêmio

Horta da Escola – Fotos: divulgação

A Escola Municipal Advogado Otávio Amorim, no bairro das Malvinas, em Campina Grande, no Agreste, é o exemplo quando o assunto é sustentabilidade. Nesta quarta-feira (23), mais uma ação foi criada em prol do meio ambiente, a coleta seletiva do colégio. Com uma viçosa horta comunitária orgânica, o local é verde, arejado e com cheiro de ervas e alimentos naturais. O colégio ficou entre os 24 melhores da Paraíba, e de outros Estados, no Prêmio Educação 2019.

A idealizadora do projeto de sustentabilidade da Escola, Ana Cely Santiago, disse que tudo começou há pouco mais de um ano, com a implementação de práticas ambientais. Ela e um grupo de professores da Escola criaram o blog Ecopedagogia. Através de atividades educativas em todos os níveis de ensino, a sustentabilidade vai tendo espaço na escola de bairro.

O Programa Recicla Campina iniciou nessa quarta, com a coleta de resíduos sólidos na Escola. Semanalmente, os resíduos sólidos são recolhidos, trazidos pela comunidade e encaminhados a uma cooperativa de materiais reciclados. “Já informamos aos alunos que o lixo reciclável seco, como papel, embalagens, latas, garrafas pets e vidro, devem ser trazidos à escola até a terça-feira de cada semana”, disse Ana Cely. 

Ela acredita que a Escola tem um papel fundamental na educação familiar e social. “A sustentabilidade ensina a todos, aos alunos e aos pais, além de fazer com que esses saberes rompam barreiras através dos nossos alunos, que se tornarão responsáveis por repassar esse conhecimento para a comunidade na qual estão inseridos”, reforçou.

Qualidade – Pela gestão e pelas práticas sustentáveis que a Escola Municipal Otávio Amorim desenvolve, esta semana, o colégio foi escolhido pelo Instituto Alpargatas entre as 24 melhores em gestão escolar no Prêmio de Educação 2019. Para a gestora da Escola, Marluce Nascimento, o momento foi de grande alegria, para ela e para todos que fazem o ensino municipal.

A gestora agradeceu pelas redes sociais, disse que o reconhecimento é o fruto do trabalho humanizado realizado com excelência. “Tornar o nosso espaço mais verde, acolhedor e propício ao conhecimento é um desafio diário, mas nunca impossível. Nossos resultados nos credenciam como escola modelo. Gratidão é o nosso nome! Parabéns a todos que fazem a Escola Otávio Amorim”, postou a gestora.

Horta – A Escola Otávio Amorim mantém uma horta de produtos orgânicos há décadas e o projeto foi retomado em março de 2018. Os alunos plantam e colhem as verduras, legumes e ervas que cultivaram por meses. O agrônomo Letiene Santos explicou que a horta é mantida de maneira biodinâmica.

“A escola já separa o lixo seco do lixo molhado. Garrafas pets, plástico, alumínio, cobre, ferro, braços de cadeiras, lixo gerado na escola de natureza seca é organizado em sacolas para a coleta. Já o lixo molhado, restos de frutas, comidas e cascas, vai para uma composteira, é degradado pelas minhocas e o humus da minhoca é encaminhado para os canteiros da horta comunitária. É toda uma cadeia de acontecimento de energia localizada. Aqui não se perde nada, tudo é reaproveitado”, disse.

Dificuldades – Para o projeto sustentável da Escola Otávio Amorim ser total, eles precisam de um poço para não usar a água do abastecimento da cidade. “Atualmente, a agente usa um suplemento da água do açude de Boqueirão. Essa água é reciclada do uso da própria Escola. Mesmo assim, não é suficiente para a quantidade de canteiros que temos”, destacou. Outra necessidade é de equipar a Escola com energia solar, para tornar todo o ambiente interno autossustentável.

Valdívia Costa/PB Debate

LEIA TAMBÉM

“Nego bom” de CG é um dos doces apresentados no 6º Festival Degustando o Brasil

Compartilhar

Enquete

Cotações

  • Dólar TurismoR$ 4,2800
  • LibraR$ 5,4268
  • Peso Arg.R$ 0,0689
  • BitcoinUS$ 7.207,9200

Denuncie pelo WahtsApp