Lei que torna 2019 o “Ano Jackson do Pandeiro” é sancionada em Campina Grande

Imagem: Divulgação

O Projeto de Lei de autoria do vereador Renan Maracajá (PRB), que institui 2019 como o “Ano Jackson do Pandeiro” foi sancionado e publicado no Semanário Oficial 2.601 da Prefeitura Municipal de Campina Grande e tornou-se a Lei 7.064, alusiva ao centenário de nascimento do artista e prevê uma série de homenagens do dia 01 de Janeiro a 31 de Dezembro de 2019, com atividades que envolvam pesquisa, vídeos, documentários, fotos, arte, música, fatos e tudo mais que possibilite maior conhecimento sobre a expansão, resgate da obra e da vida do Rei do Ritmo.

Jackson do Pandeiro, nome artístico de José Gomes Filho, nascido em Alagoa Grande, 31 de agosto de 1919, falecido em Brasília no dia 10 de julho de 1982, aos 62 anos. Foi cantor e compositor de forró e samba brasileiro, se destacando pela habilidade com o pandeiro e como letrista de inúmeros sucessos como baião, xote, xaxado, coco e outros, marcando época por sua versatilidade e talento, cuja discografia registra mais de 300 músicas. A obra de Jackson do Pandeiro é ainda hoje uma rica referência em várias partes do mundo, se constituindo num importante divulgador de Campina Grande, não apenas por onde passava, mas, principalmente por imortalizar esta cidade nas letras das suas músicas.

A lei decreta que Prefeitura Municipal, todas as secretarias e a Câmara Municipal de Campina Grande, utilizem o logotipo oficial ou referências a ‘’2019 – Ano Jackson do Pandeiro” em todo e qualquer material de expediente, seja graficamente impresso ou eletrônico no decorrer do ano de 2019. O poder executivo coordenará ainda a programação dos eventos institucionais comemorativos ao centenário junto às escolas públicas municipais.

Para o vereador Renan Maracajá, toda ações realizadas em homenagem a Jackson do Pandeiro são insuficientes comparadas com a sua contribuição para cultura brasileira, nordestina e por difundir nome de Campina Grande e da Paraíba para o mundo em forma de música. Destacou ainda que esta lei traz à tona toda a importância da sua obra e valoriza a nossa música, traduzindo o valor do nossos talentos e divulga Campina Grande exatamente na sua força maior que é o forró.

Redação com Ascom

Veja também:

Vereadores campinenses aprovam novo salário mínimo retroativo a 1º de janeiro

Compartilhar