MANIFESTAÇÃO: Ao menos 21 Estados e o DF têm atos contra cortes na Educação; PB participa em várias cidades

Manifestação Brasília – Foto: Michael Melo

Estudantes de várias cidades do país cumpriram a promessa de voltar às ruas para protestar de forma mais abrangente contra os cortes do Governo Federal na Educação e estão em pelo menos 23 Estados e Distrito. Nesta quinta-feira (30), 15 dias após a primeira ação contra os cortes e na semana seguinte às demonstrações de apoio ao Governo, a pauta é a mesma, reivindicar a manutenção das verbas das instituições federais do Brasil.

Segundo organizadores do evento, os atos foram realizados em pelo menos 24 capitais do Brasil. Atos como o que será realizado na capital paulista, por exemplo, terão início apenas no fim da tarde. Os organizadores esperam reunir um número maior de pessoas desta vez. No entanto, alguns líderes partidários da oposição acreditam num movimento menor que o realizado no dia 15.

“É difícil que as manifestações sejam maiores do que as do dia 15, que foram muito grandes e superaram as expectativas. Mas não serão menores, nem mais frágeis do que as de domingo [dia 26, que tinham como mote o apoio ao governo de Jair Bolsonaro]”, disse o presidente do PSol, Juliano Medeiros.

Patos realizou o manifesto – Foto: Blog do Jordan Bezerra

Sertão – Na cidade de Patos, no Sertão da Paraíba, os manifestantes se concentraram na Praça Edivaldo Mota, Centro, onde se iniciou a confecção de faixas e cartazes usados durante ato. Logo após, teve início a caminhada que percorreu às ruas Solon de Lucena, Epitácio Pessoa e culminou com discursos na Praça Getúlio Vargas.

A Central dos Trabalhadoras e Trabalhadores do Brasil na Paraíba (CTB/PB) contribuiu com a infraestrutura necessária para garantir carro de som, água, tendas e faixas padronizadas para o ato. José Gonçalves, presidente da CTB/PB, disse que essa luta é dos cidadãos conscientes da gravidade vivida no Brasil após os ataques do Governo Federal aos direitos do povo.

Os estudantes e professores classificaram o presidente Jair Messias Bolsonaro (PSL) como inimigo da educação, da ciência e do conhecimento que vem sendo construído pela humanidade ao longo dos anos. Cada fala dos presentes foi um desabafo diante dos transtornos causados pelo Governo nas instituições federais em decorrência dos cortes que estão chamando de “contingenciamento”.

Redação PB Debate com Metrópoles e Jordan Bezerra

LEIA OUTRAS CIDADES E MANIFESTOS:

João Pessoa e Campina aderem a protesto nacional contra corte de verbas nas universidades

Compartilhar