PESQUISA: Sesi e Senai são as escolas que mais contribuem para a formação profissional no Brasil

Alunos Sesi – Foto: Ascom

Criados há quase 80 anos para auxiliar no desenvolvimento da indústria e no fortalecimento economia do Brasil, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e o Serviço Social da Indústria (Sesi) são considerados pelo setor privado como as entidades que mais contribuem para a qualificação profissional no país. A sondagem foi realizada pelo Instituto FSB Pesquisa com 4 mil empresários de todo Brasil. As instituições têm imagem positiva e atuações têm altas taxas de aprovação no setor privado.

Os empresários ouvidos são CEOs, presidentes, vice-presidentes e sócios de empresas de micro, pequeno, médio e grande portes de todo país. A pesquisa buscou avaliar a percepção sobre a qualidade do ensino técnico no Brasil, a qualidade da educação básica técnica e profissional oferecida por Sesi e Senai e a imagem que os empresários têm das instituições, em comparação com outros atores do ensino técnico. Numa escala de 0 a 10, as entidades do chamado Sistema S receberam nota 7,0 por sua contribuição à qualificação profissional. A rede privada de ensino técnico ficou com 6,3 e 4,9 foi a nota da rede pública.

Quando se referem aos cursos do Senai e às ações de educação do Sesi, a opinião também é positiva. Para 83,2% dos entrevistados, os cursos são ótimos ou bons, enquanto 77,4% têm a mesma visão sobre as ações. Em relação ao trabalho realizado pelas duas instituições, 35,4% dos entrevistados consideram como ótimo e 49,8% bom, enquanto 1% percebem a atuação das duas casas como ruim ou péssima.

“O Sesi e o Senai têm um elevado reconhecimento da população brasileira com relação ao indispensável trabalho que realizam na qualificação de mão de obra de trabalhadores de vários setores, na formação de jovens de baixa renda e em ações para o aumento da produtividade e da inovação no setor industrial brasileiro”, diz o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade.

Formação – O ensino técnico no Brasil, como um todo, tem avaliação positiva, sendo considerada ótima ou boa para 47,3% dos empresários ouvidos e regular 38,4%. Uma ampla maioria (84,1%) aponta aspectos positivos do ensino técnico, sendo a qualidade dos cursos (32,3%), oportunidade emprego/estágio (11,9%) e formação dos trabalhadores (8,5%) os atributos mais citados. Em relação ao Senai, 87% indicaram, de forma espontânea, a qualidade dos cursos (41,2%), a formação de trabalhadores (13,4%) e os cursos (9,8%) como seus principais atributos.

A educação básica e outras modalidades de ensino oferecidas pelo SESI também contam com reconhecimento dos empresários da indústria. Em relação à opinião dos entrevistados, 60,5% citaram algum ponto positivo sobre a instituição, sendo a qualidade dos cursos (14,5%) a formação dos trabalhadores (9,1%) e ações de lazer e cultura (8,2%), além de trabalhos sociais realizados (7,2%).

Redação PB Debate com Ascom

LEIA TAMBÉM

Orquestra Sinfônica realizará concerto comemorativo e abrirá show dos Paralamas, na próxima segunda (5)

Compartilhar