Polícia realiza a maior apreensão de fuzis no Rio durante investigação sobre assassinato de Marielle

Fuzis desmontados – Foto: Estadão

O maior arsenal de fuzis já encontrado no Rio de Janeiro foi localizado por acaso das investigações dos acusados de matar a vereadora Marielle Franco (PSOL) e o motorista Anderson Gomes. De acordo com a Polícia, 117 armas modelo M-16 foram encontradas desmontadas na casa de Alexandre Motta Souza, amigo do PM reformado Ronnie Lessa, preso nesta terça-feira (12), denunciado como autor dos disparos do duplo homicídio.

As armas estavam sem os canos em caixas lacradas. Cada fuzil desse modelo, completo, vale cerca de R$ 30 mil, o que avalia um apurado de mais de R$ 3,5 milhões caso fossem montadas e vendidas. Na casa também foram encontradas 500 munições, 3 silenciadores e R$ 112 mil em dinheiro.

O acusado preso com o arsenal por suspeita de tráfico de armas, Alexandre, afirmou à polícia que é amigo de Lessa desde a infância. Disse que o PM aposentado pediu que guardasse as caixas, sem dizer qual era o conteúdo delas.

Surpresa – O advogado Leonardo da Luz, que representa Alexandre, afirmou à imprensa na delegacia que foi uma surpresa para ele (o cliente) ver o que se encontrava dentro das caixas. “Ele não tem nada a ver com esse episódio lamentável envolvendo a vereadora”, disse o advogado.

A apreensão foi realizada pela Delegacia de Homicídios do Rio e fez parte da Operação Lume. A ação cumpriu 34 ordens de busca e apreensão, resultado da investigação que apura a morte da vereadora e do motorista. A Polícia Civil informou que foram encontrados R$ 50 mil na casa dos pais do policial reformado Ronnie Lessa e R$ 62 mil dentro do carro dele. O grande número de armas e os valores em dinheiro levantaram mais suspeitas.

No aeroporto – Antes dessa ação, a maior apreensão de fuzis realizada pela polícia do Rio era de 60 unidades, encontradas no aeroporto do Galeão, na Ilha do Governador (zona norte). Eles tinham sido enviados de Miami para o Rio escondidos em caixas com aquecedores para piscinas. O carioca Frederik Barbieri foi preso em Miami, em fevereiro de 2018, acusado pela polícia brasileira de ser o responsável pelo tráfico dessas armas.

Redação PB Debate com Estadão

LEIA TAMBÉM:

Polícias e Ministério Público podem chegar ao autor intelectual dos assassinatos de Marielle e Anderson

Compartilhar

Enquete

Quem é o melhor candidato (a) do grupo de OPOSIÇÃO para a prefeitura de Campina em 2020?

Cotações

  • Dólar TurismoR$ 3,9200
  • LibraR$ 5,0086
  • Peso Arg.R$ 0,0933
  • BitcoinUS$ 4.117,9000

Denuncie pelo WahtsApp