UPA é fechada pelo CRM por irregularidades

Após encontrar irregularidades durante uma fiscalização ocorrida na noite desta terça-feira (14), o Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) decidiu interditar eticamente a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Bayeux, na Grande João Pessoa. Desta forma, conforme explicou o diretor de Fiscalização do Conselho, João Alberto Pessoa, quem já estiver internado no local seguirá recebendo atendimento, mas novos pacientes não poderão ser recebidos, ficando o poder público responsável por encaminhá-los para outros estabelecimentos.

“Nós fomos chamados porque recebemos uma denúncia de agressão de um pai de paciente contra uma médica. Ao chegarmos à UPA descobrimos que teria sido apenas agressão verbal, mas na fiscalização identificamos que realmente existe insegurança para médicos e para profissionais de enfermagem”, contou João Alberto Pessoa, que ressaltou que não existem no local profissionais de segurança adequados para conter situações de conflito e proteger as equipes que trabalham na unidade.

O diretor de Fiscalização do CRM-PB revelou que, além da constatação de insegurança, a UPA foi interditada por outras irregularidades como estar funcionando sem uma direção técnica, ter uma escala médica incompleta, apresentar falta de equipamentos e de roupas, não ter uma lavanderia e ter restrição de exames laboratoriais.

“Posso citar como exemplo a área vermelha da UPA, que está com cinco pacientes internados. Desses cinco, apenas um está com um equipamento de monitoramento”, citou João Alberto, que relatou ter informado à diretoria administrativa da UPA sobre os problemas que devem ser solucionados para que haja desinterdição da instituição.

Fonte: Portal Correio

Compartilhar