Zelador ajudava alunos a cometer estupros em escola, diz delegada

Foto: Reprodução

Joana D’Arc Sampaio, Delegada da Polícia Civil, confirmou, nesta terça-feira (12), que um zelador do Geo Tambaú, a escola particular onde ocorreram abusos sexuais contra uma criança de oito anos, também teria participação nos atos de violência. Três adolescentes, alunos da escola, foram apreendidos nessa segunda (11). A Polícia investiga se houve abusos contra mais crianças.

Segundo a Delegada, além de estuprar a criança, o zelador agia no impedimento da passagem de outros alunos para o banheiro, enquanto os jovens suspeitos violentavam a vítima. A estratégia usada seria molhar o piso do corredor do banheiro e dizer que o local estava interditado para limpeza.

O homem foi denunciado e o caso está sob investigação. Joana D’Arc informou que o suspeito já foi ouvido por autoridades. O motivo pelo qual não houve mandado de prisão contra ele, no entanto, ela não soube informar. “O inquérito está na Vara Criminal. Agora é com a Justiça”, finalizou. Ele foi demitido da escola assim que os casos foram descobertos, em maio de 2018.

Em nota, o Geo Tambaú informou que a partir do momento que tomou conhecimento da notícia, tem buscado junto ao Poder Público a apuração dos fatos.

“Em respeito à privacidade dos menores envolvidos, o procedimento tramita em segredo de Justiça e no âmbito do Poder Judiciário. O Colégio está empenhado no esclarecimento integral da verdade”, disse o Geo, em nota.

Redação com informações do Portal Correio

VEJA TAMBÉM:

Colégio GEO, de João Pessoa, emite nota sobre estupro de aluno dentro de banheiro da escola

Compartilhar