Bruno e oposição ainda não definiram liderança das bancadas na CMCG

O prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima (PSD), completou uma semana no cargo sem líder definido na Câmara Municipal (CMCG), que também iniciou os trabalhos no último dia 1º de janeiro com a posse e a eleição da Mesa Diretora.

O novo gestor está ‘arrumando’ a casa, acomodando aliados, inclusive com a possibilidade de chamar vereadores para o secretariado, assim como fez com Dinho do Papaléguas (Democratas) que assumiu a Secretaria de Juventude, Esporte e Lazer e abriu espaço para Rubens Nascimento (Democratas).

Acesse: Bruno pode ‘tirar’ mais um vereador da CMCG e beneficiar Progressistas

Entretanto, nomes começam a despontar para ser porta-voz do prefeito no Legislativo. São eles: Alexandre do Sindicato (PSD), que já tem experiência, pois foi líder do ex-prefeito Romero Rodrigues (PSD) e Sargento Neto (PSD), eleito presidente da Casa para o segundo biênio (2023/2024). O escolhido deverá ser anunciado nos próximos 15 dias.

OPOSIÇÃO

Com 6 vereadores, a oposição também não apresentou, até hoje, seu líder. É bem provável que Anderson Almeida (Podemos) e Olímpio Oliveira (PSL) se revezem na função. A bancada tem ainda Dona Fátima (Podemos), Valéria Aragão (PTB), Hilmar Falcão (DC) e Jô Oliveira (PCdoB)

Redação Paraíba Debate

Acesse também:

Compartilhar