Para Pedro Cunha Lima, Bolsonaro é um ‘presidente irresponsável e que faz mal ao país’, mas ‘não há razão para afastamento’

Os deputados que integram a bancada paraibana começaram a se pronunciar sobre as recentes discussões acerca de uma possível abertura de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que tem enfrentado críticas em decorrência de sua atuação na pandemia da Covid-19. Na última semana, ‘o placar do impeachment’ voltou a circular nas redes sociais em meio à pressão pelo afastamento. Em entrevista nesta segunda-feira (18), o deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB) também se pronunciou sobre o tema.

O parlamentar vê como legítimas as críticas dirigidas ao Chefe da Nação, sobretudo pela suposta falta de articulação do Governo Federal no combate à pandemia, mas não vê razão para o impedimento do presidente. À reportagem, ele chamou o presidente de ‘irresponsável’ e avaliou que atuação de Bolsonaro faz mal ao país.

“Não existe nenhum processo de impeachment que foi admitido pelo presidente da Câmara, então não posso me pronunciar sobre algum processo, só posso ter posição mais clara quando houver um processo, que não existe. Sobre algumas posições, a exemplo de impeachment pelo que ocorre no Amazonas. Lamento profundamente o que está ocorrendo no Amazonas, mas não vejo isso como razão para afastar um presidente eleito democraticamente. Tem que ter um crime flagrado, evidenciado. Discordância política não é razão para impeachment”, avaliou.

Mesmo não vendo razão para o afastamento, inclusive pela ausência de um processo, o parlamentar tucano não economizou nas críticas. “A razão da pressão política é uma obviedade, as aberrações do presidente Bolsonaro, sobretudo no tratamento da pandemia, no começo, contra a ciência, abraçou a cloroquina, além de chamar de gripezinha, fazer aglomeração, de ter uma postura de não respeitar para diminuir o impacto do Coronavírus. Abraça a cloroquina, contra a ciência, joga contra a vacina, então é um presidente irresponsável, que faz muito mal ao nosso país, e aí coloco sobretudo nesse quesito de lidar com a pandemia, não há como medir palavras, da postura que o presidente Bolsonaro tem tido”, disse.

Pedro Cunha Lima, que votou a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), em 2016, acrescentou que a discussão sobre o tema deve ser vista à luz da Constituição. Ele criticou a postura de parlamentares que antes chamavam de ‘golpe’ o afastamento da petista e que hoje defendem o fim do Governo Bolsonaro como sendo ‘constitucional’.

Redação Paraíba Debate com informações do Polêmica Paraíba

Veja também:

Compartilhar