Tatiana Medeiros comenta processo na Justiça que Bruno prometeu mover contra ela: “Não citei nomes, citei fatos”

A médica Tatiana Medeiros, ex-secretária Municipal Saúde de Campina Grande e ex-candidata a vice-prefeita na cidade pelo MDB, respondeu nesta quarta-feira (27) as declarações do prefeito Bruno Cunha Lima (PSD), que afirmou levar à Justiça as acusações sobre casos de pessoas que teriam furado a fila de vacinação contra a Covid-19. Ela afirmou que em nenhum momento, ao fazer as denúncias, citou o nome do gestor e reforçou que houve sim ‘fura fila’ na vacinação.

“Eu fui ameaçada de fazer denúncias caluniosas. Eu não citei nomes, citei fatos, eu fiz os encaminhamentos. Acredito e entendo que num momento trágico como esse, haja um acompanhamento maior. Eu não disse que ele [Bruno Cunha Lima] teria furado fila. Um prefeito ou secretário de Saúde não têm como fiscalizar diretamente, mas têm que, quando há uma denúncia, averiguar a informação. E houve fura fila sim, eu tenho provas sobre isso”, afirmou.

Acesse: Filho de Wellington Roberto repercute matéria do Paraíba Debate e reforça críticas a Romero Rodrigues

Na terça-feira (26), Tatiana formalizou no Ministério Público da Paraíba (MPPB) as denúncias feitas, inicialmente, em seu perfil no Twitter na semana passada. “Eu tenho print de postagens. As pessoas usam de forma indevida as redes sociais, às vezes não sabem nem que estão gerando provas contra elas. Foi exatamente o que aconteceu”, declarou a médica ao apresentar o conjunto de supostas provas.

Bruno, por sua vez, disse nesta quarta-feira: “Só tenho uma palavra e quando eu digo eu cumpro. Minha palavra não cai e nem quebra. Esse tipo de atitude irresponsável, de denunciação caluniosa, não pode sair despercebido para que ninguém pense que pode sair por aí dizendo o que quer e não quer e ficar por isso mesmo. Jamais vou admitir que alguém levante uma calúnia como essa e passe despercebido. Vamos cumprir todos os protocolos e punir quem tente furar a fila, mas quem quiser me caluniar vai me encontrar com data e hora marcada na Justiça”.

Veja também:

Compartilhar