Podemos e PCdoB assumem ‘comando’ da oposição na Câmara de Campina Grande; Bruno ‘entrega’ ao DEM e ao PSD liderança

Anderson Almeida e Jô Oliveira comandarão a bancada de vereadores oposicionistas na Câmara Municipal de Campina Grande (CMCG). O grupo definiu a dupla na liderança do bloco esta semana com o início dos trabalhos legislativos.

Ele do Podemos, ela do PCdoB, partidos que disputaram a Prefeitura em 2020 e obtiveram segundo e o terceiro lugar. Pelo Podemos, Ana Cláudia Vital do Rêgo conquistou 44.313 votos (21,69%) e Inácio Falcão, do PCdoB, 33.415 sufrágios (16,35%).

Os partidos, ainda em 2020, chegaram a debater a possibilidade de compor uma única chapa, era o desejo inclusive do governador João Azevêdo (Cidadania), mas não vingou. Agora, com Podemos e PCdoB assumindo o protagonismo da oposição, a expectativa é de união dos parlamentares, que são minoria na Casa, já para o próximo pleito estadual e consequentemente para 2026.

Além de Anderson conhecido por seu trabalho como sindicalista e Diretor da Casa da Cidadania e Jô, ligada aos movimentos sociais da cidade, fazem parte da bancada Olímpio Oliveira (PSL), Dona Fátima (Podemos), Valéria Aragão (PTB) e Hilmar Falcão (Democracia Cristã).

Já o prefeito Bruno Cunha Lima (PSD) escolheu Alexandre do Sindicato (PSD) e Waldeny Santana (Democratas) como líderes de sua base composta por 17 vereadores. Cristãos e conservadores, Alexandre e Waldeny reproduzirão, naturalmente, o perfil do gestor campinense na Câmara e da maioria da bancada, que possui nomes do Republicanos, Progressistas, PSC, Democratas, PSD, Solidariedade e PROS.

Redação Paraíba Debate

Veja também:

Compartilhar