Vacinados com primeira dose contra a Covid-19 ainda podem ser infectados, alerta secretário

O secretário Executivo de Saúde da Paraíba, Daniel Beltrami, esclareceu nesta sexta-feira (5) que é possível se infectar pelo Coronavírus mesmo após tomar a primeira dose da vacina contra a Covid-19, caso tenha contato com o vírus. De acordo com ele, a proteção máxima da vacina só vai acontecer após a segunda dose do imunizante.

“Por exemplo, no caso da CoronaVac, eu preciso esperar 28 dias para tomar a segunda dose, e a proteção máxima que ela é capaz de proporcionar é 14 ou 28 dias depois dessa segunda dose”, exemplificou, em entrevista à CBN.

Por isso, o secretário destacou a necessidade de continuar tomando as medidas de prevenção, como a utilização de máscara, higienização das mãos e evitar aglomerações.

Outro ponto destacado pelo gestor é que, após o período mínimo para imunização, caso a pessoa contraia Coronavírus a chance é enorme que os sintomas sejam leves. Por fim, Beltrami lembrou que a infecção só ocorre, de fato, com a exposição ao vírus e esclareceu o mito de que as vacinas infectam as pessoas.

“Não é a vacina que desenvolve doença. A CoronaVac, com o Butantan, é uma vacina de vírus inativado, significa que o vírus está morto. A vacina da Oxford tem só um pedacinho do vírus e também não é capaz de causar a doença em ninguém”, finalizou.

Veja também:

Compartilhar