Prefeitura de Pocinhos e autoridades de segurança discutem ações para evitar aglomeração e interditam Açude do Catolé durante Carnaval

A Prefeitura de Pocinhos, através da Procuradoria Municipal se reuniu nesta sexta-feira (12) pela manhã, com autoridades de segurança na Delegacia de Polícia Civil. Na ocasião eles definiram as providências que serão tomadas para garantir o cumprimento dos decretos municipal e estadual que proíbem aglomeração e decidiram interditar o Açude do Catolé, neste período de Carnaval.

A medida tem como objetivo evitar o aumento de contaminação por coronavírus no município e na região. Mesmo sem a realização dos festejos carnavalescos, a preocupação das autoridades é as pessoas acabem se reunindo e buscando locais públicos, gerando aglomeração e causando risco para si e para a coletividade.

De acordo com o procurador municipal, Moacir Amorim, está proibida qualquer aglomeração e o descumprimento das medidas pode incidir na aplicação de multas. “Contamos com a sensibilidade da população para que se resguarde e não se aglomere. Então por uma questão de segurança e para zelar pela vida, também ficou definida a interdição do açude do Catolé”.

Ele destacou que a Vigilância Sanitária Municipal e a Guarda Municipal também participarão do processo de fiscalização junto aos órgãos de segurança estaduais.

O delegado de Polícia Civil, Lamartine Lacerda Sobrinho, destacou que todas as medidas estão sendo tomadas para a intensificar a fiscalização no período de Carnaval para que os decretos sejam respeitados e fez um alerta. “Trata-se de um período complicado e a Polícia está atenta para tomar todas as providências necessárias em caso de desrespeito às proibições”, disse.

Para a comandante da 1ª Companhia do 15º Batalhão de Polícia Militar, Ramayana Cardoso é importante que a população se conscientize e não vá às ruas se aglomerar. “Pedimos para que as pessoas mantenham o isolamento social e se forem festejar, façam isso em casa com seus familiares, contamos com a conscientização de todos porque se houver aglomeração nos vamos agir de uma forma incisiva. É preciso evitar a propagação do vírus para que no próximo ano o carnaval seja comemorado com a alegria e da forma como sempre foi”, disse.

Compartilhar