Rombo de R$ 3 bi com energia deve deixar conta de luz mais cara em 2021

A conta de luz neste ano deve ter um aumento maior para cobrir o rombo de R$ 3,1 bilhões que o sistema de bandeira tarifária teve em 2020, mas ainda não há previsão de quanto será a alta no bolso do brasileiro.

O sistema tarifário aumenta a conta de luz em momentos de escassez de energia, quando há maior uso das usinas termelétricas, subindo o custo da produção de energia.

PANDEMIA GEROU ROMBO

Em maio de 2020, a Aneel anunciou a suspensão da cobrança extra por causa da pandemia do novo coronavírus. A taxa só voltou a valer em dezembro. Por causa desse período, o valor arrecadado no ano com as bandeiras foi de R$ 1,33 bilhão, enquanto o custo adicional de energia que deveria ser coberto pelo sistema foi de R$ 4,45 bilhões, segundo a Aneel.

A diferença, de R$ 3,1 bilhões, deverá ser coberta neste ano. Esse custo será um dos componentes dos reajustes das tarifas das distribuidoras de energia. A agência afirma que não tem estimativa de quanto a conta de luz dos consumidores deve aumentar, em média, por causa desse déficit.

AUMENTO NA CONTA NÃO FOI ESTIMADO

A Aneel afirma que o impacto desse custo adicional nas tarifas só será fechado nas datas de reajuste de cada distribuidora de energia. Cada empresa tem uma data de aplicação do reajuste, prevista no contrato de concessão.

Por isso, a agência afirma que ainda não tem uma previsão de quanto será o aumento médio nas contas de luz. No início do mês, porém, o diretor-geral da Aneel, André Pepitone, afirmou em reunião da diretoria que as tarifas podem subir, em média, 13% neste ano, de acordo com estimativas da área técnica, se não forem tomadas medidas para conter o aumento das contas.

Fonte: UOL Notícias

Compartilhar