Professor da rede municipal de Pocinhos monta cenário lúdico dentro de casa para aulas remotas

Há um ano o professor Marquinhos Nascimento, precisou se afastar da sala de aula e tirou licença prêmio. Na última quinta-feira (18), data de início do ano letivo na rede municipal de Pocinhos, ele retomou às atividades, mas desta vez ele não voltou à sala de aula, mas para a sala de casa, de forma remota. E para driblar as dificuldades do ensino remoto, o professor conhecido pelo dinamismo, transformou os ambientes da casa em espaços lúdicos, para ministrar as aulas de forma atrativa.

O cenário é composto por balões coloridos em vários espaços, palhacinhos, painéis com pinturas educativas e personagens infantis.

Sem experiência com ensino remoto, o professor caiu de paraquedas agora, na experiência que vem sendo adotada desde o início da pandemia no ano passado. Ele admitiu que não é uma tarefa fácil, mas tem se preparado. “Para eu adquirir experiências eu tive que pesquisar muito com leituras, vídeos os professores que já estão trabalhado com esta modalidade de ensino, com ajuda da coordenadora, da secretária de Educação e sempre estou buscando métodos para melhorar. Nós professores, gestores, pais e alunos, em pouco tempo, tivemos que aprender a utilizar ferramentas que até então eram desconhecidas. Foi um processo de mudança que às vezes vinha acompanhado de muito estresse e aos poucos,estamos nos adaptando a esse novo modelo de ensino”.

Professor da rede municipal de Pocinhos há 23 anos, Marquinhos e começou a trabalhar a lecionar no bairro da Conpel e em seguida na Escola Elizete Pereira de Araújo, uma das escolas mais conceituadas do município. Como resultado do seu desempenho, ele foi convidado para integrar o quadro de coordenadores pedagógicos da Escola Padre Galvão, onde ficou por três anos.

Mas a paixão falou mais alto e Marquinhos pediu para voltar à sala de aula. “Confesso que eu não me senti bem como coordenador porque a minha função, o meu desejo, a minha vontade era voltar para a sala de aula, porque eu amo ensinar. Ensino por amor e na época pedi à secretária da Educação para retornar à sala de aula”.

De volta para a Escola Elizete Pereira de Araújo, Marquinhos que sempre foi ligado às atividades culturais, passou a trabalhar com teatro, dança e outras expressões artísticas em suas aulas. “Os alunos não aprendem só no ambiente tradicional com o professor e os livros didáticos. A educação é um processo de ensino aprendizagem que vai muito além de quatro paredes e isso sempre conquistou a atenção dos estudantes”.

A estratégia de despertar o interesse dos alunos trabalhando habilidades também foi a forma que o professor encontrou para ajudar no desenvolvimento cognitivo.

E as estratégias deram certo. Em dois anos seguidos a escola se manteve dentro das metas estabelecidas no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB). “Para nos mantermos dentro da meta, precisamos de apoio de todos os professores, porque a educação ela é feita em equipe e se trata de um processo que vem desde o Ensino Infantil e também envolve a comunidade escolar como um todo e todos os agentes ajudaram bastante e continuam ajudando, porque é uma equipe muito competente”.

A secretária municipal de Educação de Pocinhos, Jordana Araújo, aplaudiu a iniciativa do professor. “Neste momento de tantos desafios, o professor Marquinhos mostrou que a dedicação e o esforço fazem a diferença tanto nas aulas presenciais, quanto remotas e nesta última modalidade é uma forma de torná-la mais atrativa.

Compartilhar