Governadores que “fecharem estado” devem pagar auxílio, diz Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) defendeu nesta sexta-feira (26/2) que os governadores que “fecharem” os seus respectivos estados devem arcar com os custos do auxílio emergencial, benefício pago a trabalhadores informais afetados pela pandemia do coronavírus e que deve ser retomado no próximo mês.

“O auxílio emergencial vem por mais alguns meses e, daqui pra frente, o governador que fechar o seu estado, o governador que destrói emprego, ele é que deve bancar o auxílio emergencial. Não pode continuar fazendo política e jogar para o colo do presidente da República essa responsabilidade”, afirmou durante evento no Ceará.

“A pandemia nos atrapalhou bastante, mas nós venceremos esse mal. Pode ter certeza. O que o povo mais pede, e eu tenho visto em especial no Ceará, é trabalhar. Essa politicagem do fica em casa e a economia a gente vê depois, não deu certo e não vai dar certo. Não podemos dissociar a questão do vírus e do desemprego. São dois problemas que devemos tratar de forma simultânea e com a mesma responsabilidade”, ressaltou.

As declarações do presidente são feitas em um momento em que vários municípios do país, inclusive do Ceará, estão adotando os chamados “lockdowns” em uma tentativa de diminuir as altas taxas de contágio.

O Brasil acumula mais de 250 mil mortes e está com a média diária de mortes acima de 1000 há mais de um mês.

Fonte: Metrópoles

Compartilhar