Primeiro caso de Covid-19 no Brasil completa um ano: auxílio, lockdown, polêmicas e vacinação, relembre alguns fatos da pandemia

O Brasil identificou a primeira contaminação pelo novo Coronavírus no final de fevereiro de 2020, enquanto a Europa já registrava centenas de casos de Covid-19 e trata-se de um paciente teve o diagnóstico em São Paulo, indo ao hospital com sintomas de gripe após ter feito uma viagem à Itália. A declaração de transmissão comunitária no país veio em março, mês em que também foi registrada a primeira morte pela doença.

Em abril, em meio ao isolamento social decreto por Estados e municípios para barrar o surto, o Governo Federal adotou medidas para mitigar o efeito da doença na economia, como linhas de crédito para as empresas, e enviou ao Congresso Nacional proposta de criação de Auxílio Emergencial, direcionado à população mais vulnerável, pagamento que se manteve até o final do ano.

Ainda em 2020, estudos sobre a vacina contra Covid-19 avançaram e tornaram real a possibilidade de imunização das pessoas. Em janeiro deste ano, o Brasil começa a vacinar grupos prioritários, após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovar o uso emergencial da CoronaVac e da vacina de Oxford.

Com casos ainda em alta e vacinação em andamento, no início de 2021, vários Estados decretam toque de recolher para tentar conter o avanço da doença e ‘mini lockdowns’.

Carnaval cancelado este ano, assim como em 2020 o São João e diversas outras festas, alguns eventos optaram por formatos remotos seguindo a mesma linhas as instituições de ensino, dinâmica que deve seguir nos próximos meses e fica condicionada a vacinação do maior número de pessoas possíveis.

Durante os primeiros meses da pandemia – que ainda vigora – destaca-se as lives de artistas brasileiros que impossibilitados de realizar shows presenciais, migaram para a internet. Muitos deles promoveram transmissões solidárias para doações a pessoas e instituições em crise.

As flexibilizações começaram a ser feitas por volta do mês de junho. Moderado pelos Estados e municípios, o novo formato de atendimento e funcionamento de atividades tinha como plano de fundo protocolos contra a Covid-19 e apenas agora passaram por revisão por causa do aumento dos números.

Polêmicas também marcaram a crise sanitária no país com falas questionáveis por parte do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Ele recomendou remédios sem eficácia comprovada, além de gerar aglomerações e chegou a ser contaminado. Famosos também foram ‘cancelados’ por atitudes negacionistas e de desprezo ao número de vítimas da doença.

365 dias desde o primeiro caso, o Brasil ultrapassa 10 milhões de testes positivos, mais de 9 milhões de recuperados e óbitos chegam a 251.498. O balanço da vacinação contra Covid-19 aponta que 6.338.137 de pessoas já receberam a primeira dose de vacina. O número representa 2,99% da população brasileira.

Veja também:

Compartilhar