Geraldo Medeiros aponta ‘pior cenário’ da pandemia na Paraíba e se posiciona contra retorno de Missas e Cultos

O secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, comentou nesta quarta-feira (3) a situação do sistema de saúde do Estado em meio ao agravamento da pandemia da Covid-19 que já dura um ano. Ele disse que é o pior momento e não é hora para flexibilizações, como a abertura de Igrejas para celebrações presenciais nos municípios classificados com as bandeiras laranja e vermelha.

“Estamos na vigência do pior cenário da pandemia na Paraíba. Tínhamos uma média de transmissibilidade de 1.09 e agora foi para 1.12. Não é clima de flexibilizar, aumentando a propagação do vírus, então somos contra”, disse.

Medeiros revelou a expectativa de completar a vacinação dos grupos prioritários em maio, se for seguido o cronograma divulgado pelo Ministério da Saúde. “Se esse fluxo e o cronograma do Ministério da Saúde forem cumpridos, teremos no final de maio e início de junho a vacinação de todos os grupos prioritários, doenças crônicas, agentes de segurança e professores”, afirmou.

A Secretaria de Estado da Saúde está ampliando os leitos de UTI, declarou o secretário. Foram colocados à disposição mais 10 leitos no Hospital Metropolitano, 5 no Clementino Fragra e 10 no Hospital de Trauma. O Hospital de Clínicas de Campina Grande está chegando a 54 leitos de UTI.

Veja também:

Compartilhar