Apesar de estar classificada na bandeira laranja, nada muda, por enquanto, em Campina Grande

A reunião remota ocorrida neste domingo (7) com a participação do governador João Azevedo (Cidadania), do presidente da Assembleia Legislativa (ALPB), Adriano Galdino (Avante), de membros do Ministério Público e do prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima (PSD), foi inconclusiva.

Apesar no município ter avançado negativamente na classificação para bandeira laranja, dentro do Plano Novo Normal, onde as medidas restritivas são mais duras – como toque de recolher e horário reduzido de funcionamento de setores -, não houve definição se o decreto estadual que define essas restrições seria cumprido na cidade.

Segundo informou Bruno Cunha Lima, haverá uma nova reunião nesta terça-feira (9) com participação dos representantes das esferas de poder e do MP para debater a situação de Campina Grande.

O município questiona a mudança de bandeira, alegando que tem feito o “dever de casa”, já o Estado informa que a inclusão obedeceu aos critérios do Plano Novo Normal.

Caso vá parar na Justiça, como já é esperado pelas partes envolvidas, o entendimento é de que valem as regras mais restritivas, neste caso, a Governo do Estado.

Veja também:

Compartilhar