Bruno rebate fala de secretário: “Prefiro ser neófito a ter as práticas que o grupo dele representa”

O prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima (PSD), rebateu a declaração do secretário de Saúde do Estado, Geraldo Medeiros, que o classificou como “neófito em gestão pública”, e questionou a classificação do município em bandeira laranja na nova avaliação do Plano Novo Normal Paraíba.

Bruno disse que as contas públicas de Campina Grande “não são pagas com caixas de vinho” e que as pessoas da cidade precisam trabalhar.

Ele frisou, durante entrevista a uma emissora de rádio local, que evita ao máximo a politização do tema, mas está apenas rebatendo o que foi colocado.

– Prefiro ser neófito e ter boa prática a ter as práticas que ele e o grupo que ele representa têm – disse.

O prefeito questionou o dado que coloca Campina Grande como a maior taxa de transmissibilidade do coronavírus do Estado e disse que essa notícia é inverídica e está servindo de “desculpa esfarrapada” para mudar a bandeira da cidade na avaliação do Plano Novo Normal.

Bruno apontou um “desmonte de leitos” realizado por parte do Estado ao longo de oito meses do ano passado na Grande João Pessoa e questionou a desmobilização do hospital de campanha.

O gestor ainda destacou que é a favor do diálogo e que não se pode impor o fechamento das atividades econômicas em Campina Grande, tendo em vista que a cidade já está cumprindo com as recomendações sanitárias e possui restrições estabelecidas.

Ele revelou que a cidade vai receber 15 novos respiradores esta semana e que a fiscalização está sendo endurecida.

Também disse que pretende reeditar o decreto municipal e apresentar novas limitações e proibições em alguns itens.

Fonte: Paraíba Online

Compartilhar