João Azevêdo e mais 20 governadores firmam pacto para ampliar vacinação e impor medidas restritivas

O Fórum Nacional de Governadores divulgou, nesta quarta-feira (10), uma carta cobrando expansão da vacinação contra a Covid-19, apoio às medidas preventivas e suporte para ampliação de novos leitos. O documento, que lançou o “Pacto Nacional em Defesa da Vida e da Saúde”, foi assinado pelo governador da Paraíba e mais 20 governadores. Confira:

  • Gladson Cameli (Progressistas), do Acre;
  • Renan Filho (MDB), de Alagoas;
  • Rui Costa (PT), da Bahia;
  • Camilo Santana (PT), do Ceará;
  • Ibaneis Rocha (MDB), do Distrito Federal;
  • Renato Casa Grande (PSB), do Espírito Santo;
  • Ronaldo Caiado (Democratas), de Goiás;
  • Flávio Dino (PCdoB), do Maranhão;
  • Mauro Mendes (Democratas), de Mato Grosso;
  • Reinaldo Azambuja (PSDB), de Mato Grosso do Sul;
  • Romeu Zema (Novo), de Minas Gerais;
  • Helder Barbalho (MDB), do Pará;
  • João Azevêdo (Cidadania), da Paraíba;
  • Paulo Câmara (PSB), de Pernambuco;
  • Wellington Dias (PT), do Piauí;
  • Fátima Bezerra (PT), do Rio Grande do Norte;
  • Eduardo Leite (PSDB), do Rio Grande do Sul;
  • João Doria (PSDB), de São Paulo;
  • Belivaldo Chagas (PSD), de Sergipe;
  • Mauro Carlesse (Democratas), do Tocatins.

O grupo sugere a criação de um Comitê Gestor, com participação dos três Poderes, além da assessoria de uma comissão de especialistas. Diante dos embates de Estados com o Governo Federal, os governadores pedem na carta que “as Casas do Congresso Nacional, como instâncias de representação de toda a sociedade, podem ser as condutoras desse importante Pacto”.

A carta é fruto de articulações iniciadas em reunião realizada em fevereiro, quando os governadores debateram com os presidentes do Senado e da Câmara. Os governadores pediram que o Congresso assuma a linha de frente da coordenação da crise de covid-19, alegando “omissão e negação” por parte do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido).

“O Coronavírus é hoje o maior adversário da nossa nação. Precisamos evitar o total colapso dos sistemas hospitalares em todo o Brasil e melhorar o combate à pandemia. Só assim a nossa pátria poderá encontrar um caminho de crescimento e de geração de empregos”, lê-se no ofício.

O pacto também engloba o compromisso de atuação conjunta dos governadores para a compra direta de vacinas –o que foi autorizado pelo STF (Supremo Tribunal Federal).

Os 6 governadores que não aderiram ao pacto são dos seguintes Estados: Amazonas, Paraná, Rio de Janeiro, Rondônia, Roraima, Santa Catarina.

Veja também:

Compartilhar