Promotora volta a pedir que Bruno acompanhe decreto estadual mais restritivo contra a Covid-19 em Campina Grande

A promotora de Saúde do Ministério Público da Paraíba (MPPB), Adriana Amorim de Lacerda, reforçou na manhã desta quarta-feira (10) a importância da adoção de medidas mais restritivas para evitar a disseminação do novo Coronavírus em Campina Grande.

”O Brasil vivencia o período mais difícil de enfrentamento à Covid-19”, diz a promotora, acrescentando que, apesar da ampliação capacidade de leitos de UTI que vem sendo feita, os sistemas de saúde estão próximos a exaustão.

Nanterça-feira (9), os Ministérios Públicos Federal (MPF), Estadual (MPPB) e do Trabalho (MPT) assinaram documento recomendando à Prefeitura de Campina Grande o cumprimento do decreto assinado pelo governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania).

O prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima (PSD), porém, afirmou na manhã desta quarta-feira (10) que publicará um decreto com medidas mais flexíveis do que as do decreto estadual. Entre as principais diferenças estão as de que Bruno não pretende adotar o toque de recolher nem fechar serviços não essenciais nos fins de semana, além de que as igrejas devem permanecer abertas.

Veja também:

Compartilhar