Com 75% dos leitos de UTI ocupados, prefeito de Campina adota novas medidas de enfrentamento à Covid

O prefeito Bruno Cunha Lima decidiu adotar novas medidas em Campina Grande para o enfrentamento à pandemia da Covid-19. Através de levantamentos realizados pelo corpo técnico da Secretaria Municipal de Saúde, várias ações foram estabelecidas para conter o avanço da doença e manter os níveis epidemiológicos do município sob controle.

Uma das medidas é designar a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Alto Branco para realizar o atendimento inicial a pacientes com suspeita da Covid-19. Com isso, a rede hospitalar do município passa a contar com mais 30 leitos para pacientes com o novo coronavírus, sendo 21 de enfermaria e 9 de UTI. Segundo o boletim emitido pela Secretaria de Saúde do Estado, nesta quinta (11) em Campina Grande 75% dos leitos de UTI adulto estão ocupados. Os pacientes hoje internados na UPA serão transferidos para o Hospital Municipal Dr. Edgley Maciel.

O objetivo é descentralizar o atendimento, que atualmente é realizado no Complexo Hospitalar Municipal Pedro I e nos três centros de testagem, que ficam em São José da Mata, no Novo Cruzeiro e nas Malvinas.

O prefeito Bruno também determinou a intensificação da campanha de vacinação da Covid. Apesar de a Secretaria de Saúde já ter aplicado mais de 70% das doses recebidas, uma força-tarefa será realizada para otimizar a campanha e aplicar todas as doses recebidas através de pontos fixos a partir da próxima semana.

Outra ação adotada pela Prefeitura Municipal de Campina Grande será a distribuição de máscaras em espaços como parques, praças e entorno do Açude Velho. Uma campanha de conscientização foi iniciada nestes locais para orientar os frequentadores e, junto à campanha, a Prefeitura também vai realizar essa distribuição de máscaras.

Associada a essas medidas, a Prefeitura também já está desenvolvendo outras ações como a fiscalização do cumprimento das normas sanitárias por parte de estabelecimentos comerciais, academias, igrejas, escolas, bares e restaurantes. A Secretaria de Saúde criou um disque-denúncia para a população informar sobre casos de aglomeração e descumprimento das exigências sanitárias.

“Nosso objetivo é manter a taxa de transmissibilidade da doença de um para um, como está atualmente, ou seja, de uma pessoa infectada passar para apenas uma pessoa. Isso é o ideal! Assim evitaremos a replicação da doença, que vai se proliferar de forma gradual. Desse modo, ganhamos tempo para imunizar a população e estruturar ainda mais nossa rede hospitalar”, disse o prefeito.

Compartilhar