Duas professoras da rede privada de João Pessoa morreram após a volta às aulas; sindicato da categoria acionará MP

Após a morte de duas professoras após o início do ano letivo nas escolas particulares, o último óbito registrado ontem, o Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino Privado da Paraíba vai acionar o Ministério Público para fiscalizar cumprimento de protocolos sanitários contra Covid-19 em escolas.

Pelo menos 20 profissionais da área de educação no Estado já contraíram a doença.

Um dos diretores do Sindicato, Antônio Arruda, disse que, em assembleia, os trabalhadores se posicionaram contra o retorno das atividades presenciais sem que todos estivessem vacinados contra coronavírus. “Se você trabalha com um público que tem um comportamento de risco, aumenta a proporção de transmissão”, frisou. 

Ainda de acordo com Arruda, o maior problema de atividades presenciais não é só o grupo de risco, mas o comportamento risco, pois isso não se muda de uma hora para outra. No caso da professora que faleceu de Covid-19 na quinta-feira (11), ele disse que em conversa com outros colegas, ela provavelmente acreditam adquiriu o vírus no âmbito escolar. 

O Sindicato vai acionar o Ministério Público para fiscalize se as escolas particulares da Paraíba estão cumprindo os sanitários em escolas. No caso da escola que a professora lecionava, informou que vai pedir que o Ministério verifique “se a escola estava cumprindo os protocolos e, se não, cobrar pela irresponsabilidade”. Além disso, vai exigir um termo de responsabilidade para aqueles que sejam obrigados a voltar para a escola.

Fonte: ClickPB

Compartilhar