Três deputados paraibanos votam contra a ‘PEC Emergencial’; Damião Feliciano se ausenta

Dos onze deputados federais paraibanos que participaram da votação em 2º turno da PEC Emergencial, três foram contrários ao texto. Gervásio Maia (PSB), Frei Anastácio (PT) e Julian Lemos (PSL) votaram contra a Proposta de Emenda a Constituição (PEC) 186/19, aprovada nessa quinta-feira (11), pela Câmara dos Deputados.

Além de permitir a destinação de R$ 44 bilhões fora do teto de gastos para o auxílio emergencial, a PEC trouxe outros pontos considerados polêmicos, como a imposição de mais rigidez na aplicação de medidas de contenção fiscal, controle de despesas com pessoal e redução de incentivos tributários. A previsão é de que o auxílio emergencial neste ano seja de quatro parcelas com valor médio de R$ 250.

Entre os que votaram pela aprovação, Ruy Carneiro (PSDB) fez ponderações em relação ao valor proposto para o auxílio. “Essa aprovação é importante porque tem muita gente morrendo de fome. O valor, no nosso entendimento, não é satisfatório principalmente porque o poder de compra do brasileiro diminuiu nos últimos meses. Mas, é o que está se conseguindo. ”, declarou em entrevista à Jovem Pan João Pessoa.

Gervásio Maia, que votou contra, criticou a PEC. “Foi na verdade um jogo de chantagem do Governo Bolsonaro em relação ao auxílio. Essa PEC 186, arrancando direitos e conquistas que foram celebrados na nossa Constituição de 1988 e você retirar essas conquistas com o pretexto de que esses recursos servirão para pagar o auxílio, que é algo provisório? Vários direitos de servidores da educação, da saúde e da segurança pública foram arrancados sem qualquer tipo de diálogo na aprovação dessa PEC”, justificou.

Ao todo, foram 366 votos a favor e 127 contra, com 3 abstenções. Na bancada paraibana a única ausência foi a do deputado federal Damião Feliciano (PDT), que está se recuperando da Covid-19.

Veja também:

Compartilhar