João Azevêdo e mais 12 governadores alertam Bolsonaro sobre escassez de remédios usados na intubação de pacientes com Covid-19

O governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania), e mais 12 líderes estaduais encaminharam uma carta ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) apontando irregularidades no abastecimento do SUS com medicamentos necessários para intubação de pacientes com Covid-19. Há risco de falta dos insumos, segundo os signatários.

A carta aponta que, desde maio de 2020, o Conselho Nacional de Secretários de Saúde – CONASS vem realizando acompanhamento junto às Secretarias Estaduais de Saúde ao monitoramento do abastecimento de medicamentos integrantes do chamado “kit intubação”. Foram constatadas irregularidades no abastecimento  com medicamentos bloqueadores neuromusculares, anestésicos e sedativos, utilizados na indução e manutenção de tratamento, por meio de Intubação Orotraqueal – IOT, em pacientes com Covid-19.

Dados da última semana apontam que ao menos 11 medicamentos estão em falta ou em baixa cobertura (entre 0-20 dias) em mais de 10 Estados. A  situação mais grave refere-se aos bloqueadores neuromusculares, que estão em falta ou em baixa cobertura em pelo menos 18 estados.

Os governadores pediram medidas emergenciais do Governo Federal para: compras emergenciais dos insumos para distribuição a todas as Unidades Federativas; novo certame visando à obtenção de atas de registro de preços nacionais; compras internacionais; a adequação/alteração da Lei 10.742/2003 para que se consiga a redução do preço dos remédios; o adiamento, por no mínimo 60 dias, de todas as cirurgias eletivas, nos setores público e privado.

Veja também:

Compartilhar