VIVA Brasil distribui cestas básicas e kits para crianças no bairro da Ramadinha, em Campina

A alegria e a esperança se fizeram presentes em mais um Dia de Solidariedade promovido neste sábado (20), na bairro da Ramadinha, em Campina Grande. Na ocasião, os beneficiários, além de receberem as já tradicionais cestas básicas, dessa vez, também foram assistidos com material paradidático, garantindo a alegria da criançada e reforçando as práticas educacionais mesmo durante o isolamento social. 

Em decorrência do isolamento social, é possível perceber que, não só os adultos, como crianças e adolescentes se encontram cada vez mais ansiosos e angustiados.

A entrega do kit paradidático surge como uma estratégia para amenizar esses impactos do isolamento na rotina dessas crianças, proporcionando, através de atividades lúdicas, formas saudáveis de distração.

A moradora Margarida Barbosa, 64 anos, moradora da Ramadinha, tem no VIVA um grande e importante aliado para enfrentar os desafios do atual cenário pandêmico. “Eu me sinto muito feliz, porque tem dia lá em casa que eu não tenho condição de fazer um gole de café. Eu vivo da reciclagem. Tem semana que arrumo alguma coisa pra comer, tem semana que não arrumo. Fico muito feliz, na semana que recebo essa cesta, eu fico de barriga cheia. Na semana que não tem nada, a gente vai orar e pedir a Deus pra ele mandar uma benção pra gente viver”, diz a senhora com um sorriso que nem a máscara consegue esconder.

Ao ser questionada sobre as dificuldades trazidas pela pandemia, seus olhos enchem de lágrimas, ela silencia por um instante e o sorriso se vai dos seus olhos.

“Está muito mais difícil com essa situação. A gente sai a procura de arrumar reciclagem, mas tem semana que a gente não arruma nada, porque tem muita gente atrás de viver disso. Não posso ficar em casa. Medo eu tenho, mas a precisão é maior que o medo. Eu saindo aqui e acolá arrumo um trocado pra comprar um quilo de feijão, um quilo de açúcar, e assim a gente vai sobrevivendo. O VIVA está fazendo muita diferença na minha vida. Depois que apareceu essa bênção, as coisas estão melhorando”, quando finaliza sua fala, agradece mais uma vez, e segue seu rumo com a sacola de alimentos nos braços, se despedindo com um tímido aceno de cabeça.

Compartilhar