JORNALISMO EM LUTO: Juarez Amaral morre vítima da Covid-19 em Campina Grande

Morreu na manhã desta quinta-feira (25), no Hospital Pedro I, em Campina Grande, o jornalista e radialista Juarez Amaral, após complicações da Covid-19. Ele estava internado desde o dia 17 de março na unidade de saúde após passar mal enquanto praticava exercícios físicos as margens do Açude Velho.

De acordo com o médico Tito Lívio, diretor da unidade hospitalar, na quarta-feira (24) a pressão arterial do jornalista baixou. “A gente tentou manter uma pressão estável, mas ele apresentou uma insuficiência renal. O nefrologista, foi lá, avaliou, tentou fazer medicações para estimular essa essa função renal, ela voltar, mas infelizmente no início da manhã, ele não resistiu”, disse.

Com alto comprometimento do pulmão ele chegou ao hospital com quadro bastante agravado. “Estava numa fase avançada da doença, ele já chegou lá em insuficiência respiratória e foi entubado prontamente, a situação já era bem grave. Então, assim, o que o manejo da doença já no estágio final da doença se torna bem mais complexo, principalmente, numa pessoa de idade, se torna mais complexo ainda e é, aí vemos cascada de outras complicações que isso vem acarretar aqui. É a pressão que cai, a insuficiência é renal. Então, assim, são vários fatores que acometem. Por isso que a gente sempre diz no acompanhamento precoce da doença desde os primeiros sintomas, procurar um atendimento médico”, disse o médico.

Juarez foi o fundador do “O Jornal de Verdade”, ele começou em 1985 na Rádio Caturité AM (hoje FM), depois, de 2003 a 2017, foi apresentado na Cidade Esperança AM e por último na Rádio Arapuan FM, onde saiu do ar ainda 2017.

O sepultamento está previsto o final da tarde no Campo Santo Parque da Paz, no Velame, onde há muitos anos comprou uma sepultura. Fez questão de ser o jazigo de número 13 – uma homenagem eterna a seu time do coração.

A pedido dos familiares, haverá um cortejo fúnebre para as últimas homenagens e um adeus a Juarez Amaral, saindo às 17hs do Hospital Pedro I, em direção ao cemitério.

Redação Paraíba Debate

Compartilhar