Restrições dos últimos dias reduziu circulação dos paraibanos e novo decreto prioriza fiscalizações, diz secretário

”Março foi o pior mês da pandemia”, afirmou o secretário Executivo de Gestão de Unidades de Saúde da Paraíba, Daniel Beltrammi nesta segunda-feira (5). Ele destacou que 66.868 brasileiros perderam a vida por causa da Covid-19 neste mês que passou. A situação levou o Governo do Estado a adotar medidas mais restritivas para tentar impedir a disseminação da doença, fechando atividades não essenciais durante nove dias. Embora a partir desta segunda-feira, o comércio, bares e restaurantes possam reabrir, Beltrammi declarou que ainda há medidas importantes a serem cumpridas e a fiscalização será intensa.

”O decreto não flexibiliza muito, ele é na verdade bastante restritivo. Os bares e restaurantes, por exemplo, só podem funcionar com 30% da capacidade em áreas fechadas, em áreas abertas, 50%. Nós vamos fiscalizar isso com a Operação Previna-se”, comentou.

De acordo com o secretário, no período em que as atividades estavam mais restritas, mais especificamente durante os feriados antecipados, ocorridos na semana passada, houve uma nítida redução na circulação de pessoas. ”A ocupação de leitos ainda está alta, mas pelo menos parou de piorar”, pontuou.

No domingo (4), a ocupação de leitos Covid-19 na Paraíba era de 78%, conforme boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Saúde do Estado. Foi o menor índice registrado desde o dia 1º de março, quando a ocupação estava em 77%. 

Acesse: Campina Grande permanece na bandeira laranja do ‘Novo Normal’; confira a classificação de cada município paraibano

Daniel ressaltou ainda que os números referentes à ocupação de leitos continuarão sendo acompanhados, assim como os índices de isolamento social, e os números relativos ao contágio pela doença, de forma que novas medidas podem ser tomadas na próxima avaliação estadual.

O secretário pede a colaboração da população para que o planejamento feito pelas autoridades sanitárias funcione. Por isso, é essencial que se continue usando máscaras e evitando aglomerações.

Compartilhar