“Proibir Missas e Cultos presenciais é uma decisão a favor da vida”, afirma Dom Manoel Delson, Arcebispo da Paraíba

O Arcebispo da Paraíba, Dom Manoel Delson, comentou com a imprensa, nesta sexta-feira (9), a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que, por 9 votos a 2, permitiu que Estados e municípios podem impor restrições às celebrações religiosas presenciais, como Cultos e Missas, em templos e Igrejas durante a pandemia de Covid-19.

Para a Corte, a liberdade de professar a fé em cultos não é um direito absoluto e pode ser temporariamente restringida para assegurar as garantias à vida e à saúde. O arcebispo concordou e disse que a decisão está a favor da vida, de proteger a vida dos fiéis.

Acesse: Defendendo a liberdade religiosa, conservadores organizam “Marcha da Família” em Campina Grande

“Mas isso não significa dizer que o governador pode decretar o fechamento de Igrejas e proibir Cultos e Missas de toda forma. São somente os Cultos e Missas presenciais e é como estamos fazendo até hoje conforme o decreto estadual, pelo qual podemos celebrar as Missas transmitidas pelas redes sociais e podemos ainda atender as pessoas individualmente, confessando, orientando, dando conforto espiritual, psicológico como é próprio da nossa Igreja”, afirmou.

Dom Manoel destacou também que a Igreja Católica continua com o seu trabalho social de distribuir cestas básicas a pessoas necessitadas e dando refeições prontas. “Estamos fazendo essas ações desde o início da pandemia”, destacou.

Redação Paraíba Debate com informações de Hacéldama Borba

Veja também:

Compartilhar