Presidente do COSEMS explica que informações do TCE sobre inconsistências na vacinação dos municípios são prematuras

A presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (COSEMS-PB) explicou que os dados de inconsistências informadas pelo Tribunal de Contas do Estado, no processo de vacinação de municípios paraibanos foram divulgados de forma precoce porque ainda estão brutos. Ela disse que na segunda-feira (10) solicitará a relação dos municípios ao TCE.

De acordo com a presidente é necessário que o TCE envie os dados de cada município para que as informações sejam qualificadas para somente assim, se tenha uma radiografia real dos fatos e qualquer informação anterior é prematura.

“É muito prematura essa declaração do TCE. Não recebemos nada ainda só na verdade uma publicação da notícia, mas os dados estão brutos e estas inconsistências podem ser decorrentes de muitos fatores e não necessariamente de irregularidades”.

Soraya ponderou que em relação às pessoas já falecidas, é preciso que se observe se tratam-se de pessoas que já infectadas foram vacinadas, mas posteriormente foram a óbito, antes de receberem a segunda dose. Já no caso dos CPFs inexistentes, ela explica que para o processo de vacinação é necessário que a pessoa apresente o CPF ou cartão SUS e no caso do CPF estar desatualizado ele aparece como inexistente.

Compartilhar