Paraibana suspeita de matar filho chorou por 40 minutos ao saber da morte da criança, diz advogado: “Ela está muito abalada e não lembra de nada”

O advogado Fábio Gomes da Costa, responsável pela defesa de Andréia Freitas de Oliveira, suspeita de assassinar o filho, Gael de Freitas Nunes, de 3 anos, em São Paulo, disse que ela não se lembra do que aconteceu na noite do crime e que, ao ficar sabendo da morte do filho, chorou por 40 minutos.

“O primeiro contato que eu tive com ela foi hoje de manhã na delegacia. A primeira coisa que ela perguntou foi sobre o filho, eu contei sobre o ocorrido, e ela desabou a chorar, só consegui retomar a conversa com ela 40 minutos depois”, afirma Costa.

O advogado disse ainda que Andréia não assume a autoria do crime. “Ela está muito abalada e não se lembra de nada”, enfatizou o advogado.

Nesta terça-feira (11), a Justiça de São Paulo decretou a prisão preventiva de Andréia. Segundo o advogado, será solicitada a prisão domiciliar ou a transferência para um hospital psiquiátrico, além de um exame de insanidade mental.

O caso ocorreu na segunda-feira (10). Gael estava com a mãe na cozinha quando a tia-avó entrou no cômodo, após ouvir choro e barulho de vidro quebrando. De acordo com a polícia, a mãe teve um surto psicótico.

Veja também:

Compartilhar