Acusado de matar Anderson Maravilha é condenado a 20 anos de prisão em regime fechado

Acusado de matar com oito tiros de pistola “ponto 40”, Wellison Anderson Pereira França, “Anderson Maravilha”, na noite de 10 de abril de 2018 no Bairro Santa Rosa, em Campina Grande, Everton Rodrigues Silva Santos, o “Têta” foi julgado ontem (13) no Fórum Affonso Campos. Por causa da pandemia, não houve presença de público no Tribunal do Júri.Familiares de Anderson Maravilha, por exemplo, não puderam acompanhar.

O juiz Falkandre de Souza Queiroz presidiu os trabalhos no Tribunal do Júri. O Ministério Público foi representado pela promotora Mariceli Fernandes Vieira.O advogado Felipe Mangueira foi indicado como defensor público para a defesa do réu.Não restaram dúvidas quanto à autoria do crime.O réu, inclusive, já tinha confessado o homicídio durante oitivas.No entanto existe um mandante e em momento algum Everton declinou o nome desse autor intelectual.Além disso, não explicou a motivação.

Ficou claro que Anderson Maravilha foi executado. No julgamento o réu deu declarações divergentes, assim como fez durante o período de investigação.Não restaram dúvidas também que o alvo era Anderson e não outra pessoa que estava ao lado dele na noite do crime.

Anderson Maravilha foi assassinado a tiros na noite 10 de abril de 2018 na frente de casa, na Rua São Pedro,  no Bairro Santa Rosa.

Na época ele tinha 31 anos.O assassino passou e efetuou disparos.Anderson ainda tentou correr, mas não resistiu aos tiros de pistola na cabeça.O criminoso estava a pé e acompanhado com uma mulher que carregava uma criança, segundo informações obtidas pela polícia civil.

Em determinado momento a mulher entregou uma arma ao homem e ele efetuou os disparos.Em 2016 “Anderson Maravilha” foi candidato a vereador em Campina Grande e obteve 926 votos ficando na 1ª suplência da sua coligação. Ele era casado e filha dele hoje tem três anos e quatro meses.

Everton Rodrigues Silva Santos, o “Têta”, foi preso numa ação Delegacia de Homicídios no Bairro Santa Rosa nas primeiras horas de 17 agosto de 2018.Ele foi preso dentro de um carro que fazia o transporte alternativo de passageiros, quando tentava fugir para a cidade de Lagoa Seca.Na época contra Everton havia dois Mandados de Prisão: um por tráfico de droga e outro por  homicídio contra uma jovem em outubro de 2014.Nos primeiros interrogatórios ele negou a autoria, depois confessou o crime, mas nunca informou a motivação e quem foi o mandante.

Fonte: Renato Diniz

Compartilhar