Prefeitura de Pocinhos já ultrapassa 2.000 horas de corte de terra; trabalho continua

A Prefeitura de Pocinhos já ultrapassou as 2.000 horas de corte de terra em várias regiões de Pocinhos, com cerca de 95% de atendimento às comunidades rurais. O trabalho fundamental para quem sobrevive da agricultura familiar beneficia os agricultores com horas de corte de terra gratuita desde o mês de janeiro, abrangendo diretamente as comunidades rurais do município.

Ao tomar posse, a prefeita Eliane Galdino reforçou recomendação à sua equipe para atender a todas as comunidades rurais indistintamente. Filha de pai agricultor, a gestora sempre defendeu a adoção das ações e políticas públicas necessárias ao apoio dos agricultores. “Nossos agricultores são prioridade na gestão, homens e mulheres do campo que enfrentam tantos desafios e merecem nosso respeito e a quem devemos ações para que consigam dar dignidade à suas famílias. A zona rural de Pocinhos é muito grande e por isso solicitei empenho de nossa equipe para ter essa atenção com todos, com esse olhar diferenciado a uma atividade tão essencial”, disse a prefeita.

A secretária adjunta da Agricultura Familiar de Pocinhos, Valéria Andrade destacou que os tratores estão trabalhando para garantir que centenas de famílias que dependem da agricultura, sejam beneficiadas.

Ela explicou que algumas comunidades ainda estão recebendo os tratores porque pediram para irem somente quando chovesse, mas 90% já tiveram o corte da terra executado. “Em janeiro iniciamos entre os agricultores que solicitaram para o plantio da palma e à medida que fomos recebendo demadas, fomos executando o corte de terras e também do cronograma do corte de terra para cultivo em geral”.

Para a realização do trabalho, além dos tratores da Prefeitura que passaram por manutenção, foram locadas outras máquinas para atender todas as comunidades, de onde só saiam após a finalização do trabalho.

Entre as comunidades que tiveram terras cortadas estão as seguintes: Caiçara, Assentamento 1 de Maio, Farinha, Lajedo do Boi, Tanques, Sítio Tambor, Açude de Pedra em fase de conclusão, Nazaré e adjacências, Teotônio, Incó, Siriema, Serra da Siriema, Serrote da Cobra, Arruda, Lagoinha do Arruda, Km 21, Pedra Redonda, Várzea de Lagoa, Marispreto, Três Lagoas, Lagoa Salgada, Chocalheira, Cabeça do Boi, Amaro, Bom Jesus, Julião, São Bento, Boqueirão, Caubeira, Juá, Malhada dos Bois, Assentamento Gravatá, Comunidade Gravatá, Malhada do Canto, Baraúna Ferrada, Cajueiro, Sítio Olho d´Água, Malhada do Angico, Sítio Bravo, Sítio Conceição, Sítio Gameleira, Engenho Velho, Raposa, Serra da Raposa e Serra do Arruda.

De acordo com Valéria, os tratores continuam em outras comunidades e somente quando encerrar o trabalho, a Prefeitura terá o número exato de horas de corte.

Compartilhar