Bruno diz que Campina Grande está em ‘situação limite’ nas finanças por conta do agravamento da pandemia da Covid-19

O prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima (PSD), apelou para os Governos Federal e Estadual para auxílio financeiro após agravamento da pandemia da Covid-19 no município. As despesas com saúde mais que dobraram em relação ao mesmo período de 2020, disse.

“Estamos caminhando para uma situação-limite, quanto à nossa capacidade instalada de atendimento às demandas crescentes local e estadual por leitos e tratamento em Campina Grande. E, por maiores esforços que façamos para racionalizar gastos e equilibrar as despesas, o custo Covid na nossa rede está se tornando proibitivo”, revela Bruno Cunha Lima.

De acordo com relatório da Secretaria de Finanças de Campina Grande, em termos de recursos financeiros transferidos pelo tesouro municipal, para fazer frente aos gastos da saúde e principalmente o enfrentamento da Covid-19, o município repassou em janeiro deste ano R$ 4,3 milhões para a Secretaria de Saúde. Em abril, o repasse já tinha chegado aos R$ 5,7 milhões e uma dívida na ordem de R$ 20 milhões. A se manter nesse ritmo, os valores podem chegar a R$ 80 milhões no total, até dezembro de 2021.

O prefeito decidiu pedir ajuda para que Campina Grande não entre “numa espiral de grave crise financeira neste atípico 2021”. Com isso, montou uma agenda política que incluiu uma viagem a Brasília, na noite segunda-feira (31) e o pedido de uma audiência com o governador João Azevedo (Cidadania) para os próximos dias.

Veja também:

Compartilhar