João Azevêdo rejeita jogos da Copa América na Paraíba por causa do aumento de casos e óbitos de Covid-19

O governador João Azevêdo (Cidadania) se posicionou contra a realização de jogos da Copa América de 2021 na Paraíba. Ele usou as suas redes sociais no final da tarde de segunda-feira (31) para dizer que não é a hora de sediar grandes eventos porque o Estado vive “um aumento nos números da Covid-19”.

A Copa América aconteceria inicialmente na Colômbia e na Argentina, de forma conjunta. A Colômbia foi a primeira a desistir, depois de sérios distúrbios públicos contra o governo do presidente Iván Duque, que foram duramente reprimidos e já resultaram na morte de mais de 40 pessoas.

Desde então, a Argentina passaria a ser sede única, mas desistiu de receber a competição no domingo (30) por causa dos aumentos do número de casos e de mortes de Covid-19 no país. Até que segunda-feira (31), numa decisão polêmica e que foi classificada por “surpreendente” por muitos, a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) oficializou o Brasil como nova sede.

A competição deve acontecer entre 13 de junho e 10 de julho, mas vem sofrendo oposição de diversos setores, incluindo alguns governadores. E, desta vez, foi o governador da Paraíba quem quebrou o silêncio, diante de relatos de que a Federação Paraibana de Futebol teria interesses em dialogar com a CBF.

“O que precisamos agora são vacinas, em quantidade suficiente e com celeridade. Quando as vidas das pessoas estiverem a salvo, aí sim, podemos pensar em eventos de grande porte”, pontuou.

Além de Paraíba, estados como Pernambuco, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul também já se posicionaram contra receber jogos da competição continental.

Veja também:

Compartilhar