Ministério Público quer proibição de fogueiras e fogos de artifício em Campina Grande

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) recomendou à Prefeitura de Campina Grande que tome as providências necessárias para proibir, em todo o território municipal, as fogueiras e fogos de artifício, considerando que a poluição atmosférica produzida provocada por eles poderá agravar os quadros respiratórios das pessoas acometidas pela Covid-19.

A recomendação foi expedida pelo promotor de Justiça do Meio Ambiente e Patrimônio Social de Campina Grande, José Eulâmpio Duarte, e pela promotora da Saúde, Adriana Amorim.

Acesse: São João de Campina Grande começou de maneira improvisada em 1983, recorda criadora do memorial da festa

No documento, os promotores destacam o crescente número de casos do Coronavírus e a elevada ocupação de leitos de UTIs no Estado e em Campina Grande. Também é destacada a aproximação dos festejos juninos e as naturais aglomerações presentes neste período, em celebrações e fogueiras promovidas em espaços públicos ou privados, no perímetro urbano, assim como em zonas de expansão urbana do município.

Em 2020, já em meio à pandemia, o então prefeito Romero Rodrigues (PSD), por meio de decreto proibiu acendimento de fogueiras durante o período junino pelos mesmo motivos elencados pelo Ministério Público: evitar que a fumaça cause problemas respiratórios em pessoas que têm alergias e para pacientes que estão se recuperando da Covid-19.

Veja também:

Compartilhar