CPI da Covid: Marcelo Queiroga reafirma meta de vacinar toda população acima de 18 anos até o final de 2021

Convocado pela segunda vez para prestar esclarecimentos aos senadores que integram a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, reafirmou nesta terça-feira (8) o compromisso de vacinar toda população adulta até o final deste ano.

“Nó temos doses para vacinar toda população brasileira até o final do ano. Nos esforçamos para antecipar essas doses justamente nos meses de julho e agosto. A partir de setembro o volume de vacinas será suficiente para assegurar que as pessoas acima de 18 anos serão vacinadas. É o nosso compromisso com base nos contratos firmados”, declarou.

Pela manhã, questionado pelo relator Renan Calheiro (MDB) sobre sua atuação no Ministério, Marcelo reforçou que tem autonomia à frente do Ministério da Saúde para nomear e exonerar subordinados e para estabelecer políticas da pasta. “Se o presidente não estiver satisfeito com o meu trabalho é muito simples, ele me exonera. E eu vou agradecer o presidente a confiança que ele  teve em min. Até o momento não teve nem um ponto que me fizesse sentir desprestigiado a frente do Ministério da Saúde, se isso acontecer e eu achar que não posso trabalhar e cumprir minha missão eu vou agradecer e voltar para meu estado”, afirmou o médico.

No final da manhã, Marcelo e o senador baiano Otto Alencar (PSD) bateram boca a respeito da bula da Pfizer. Alencar perguntou a Queiroga se ele havia lido as bulas dos imunizantes – o que ele respondeu negativamente. “Que pena, porque eu li todas. Está errado ele não ter lido a bula das vacinas e como ela é aplicada. O senhor é quem determina, precisa saber como mandar aplicar a vacina. Todas podem ter efeitos colaterais. Devo dizer que este talvez seja o ato mais irresponsável do Ministro da Saúde, mandar aplicar sem saber o que pode causar. Vou ler a vacina da Pfizer”, disse o senador.

Otto ainda contestou afirmações do ministro sobre a vacinação e disse que consta na bula da vacina da Pfizer que ela não pode ser aplicada em gestantes. “Está escrito claramente que não pode ser dado às gestantes”. Em meio ao bate-boca, Otto disse: “ministro, fale a verdade, a ciência não pode mentir”. O senador se referia a uma paciente grávida que morreu após ter tomado a vacina.

O senador perguntou ao ministro quem foi o responsável por editar a nota técnica com a recomendação de que gestantes que tomaram a primeira dose da vacina da AstraZeneca pudessem tomar a segunda dose de outras farmacêuticas. Queiroga responsabilizou Francielli Fantinato, diretora do Programa Nacional de Imunizações (PNI). Ministro e o senador elevaram o tom na discussão e o Marcelo acusou Alencar de estar desqualificando o seu trabalho.

Na comissão também foi assunto a realização da Copa América no Brasil. O ministro informou ao senador Randolfe Rodrigues (Rede) que protocolos sanitários foram estabelecidos para que os jogos possam acontecer de maneira segurança. Randolfe se manteve contrário ao evento esportivo diante do risco de agravamento da pandemia.

Veja também:

Compartilhar