Após polêmica sobre aglomeração durante live em Campina Grande, Juliette critica negligência do Governo Bolsonaro no combate à Covid

A paraibana Juliette Freire entrou na campanha que pede a saída do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) do cargo por conta da postura negacionista do Chefe do Nação no que diz respeito à pandemia do novo Coronavírus, por provocar aglomerações, recomendar medicamentos sem eficácia e não usar máscara. Nesta segunda-feira (21) ela se posicionou no Twitter sobre o elevado número de vítimas da doença.

“500 mil mortos no Brasil! Não são apenas números. É uma terrível consequência da negligência da gestão do atual governo Bolsonaro. Eles tinham como ter evitado essa tragédia. É claro que é #ForaBolsonaro”, escreveu a ex-BBB. 

Na semana passada, Juliette já havia tecido críticas ao Governo Federal. “Eu estou muito preocupada com a situação do nosso país. Me angustia muito. Nosso país poderia está em situação muito diferente da que está hoje. É triste, é lamentável. Eu como pessoa numa me omiti e como artista não vou me omitir. Se a minha visibilidade puder salvar uma vida, eu vou fazer. Se puder ajudar uma pessoa eu vou fazer. Estou muito confortável com isso e muito preocupada com a situação do nosso país. Se eu puder salvar uma vida pedindo para usar máscara ou se vacinar, eu vou fazer isso”, declarou.

No último sábado (19) Juliette e digital influencers, entre eles Carlinhos Maia, foram alvos de críticas por provocarem aglomerações durante live de Wesley Safadão. A organização do evento informou que todos passaram por testes, mas mesmo assim o número elevado de pessoas no local e sem máscara chamou atenção dos internautas.

Juliette subiu ao palco com Safadão, Israel & Rodolffo e Alceu Valença. Ela estará com Elba Ramalho na próxima quarta-feira (23), véspera de São João, em outra live junina. Sobre a aglomeração de sábado, a mais nova milionária não publicou nada nas redes sociais. Na própria live Juliette pediu que as pessoas se cuidem e se vacinem.

Veja também:

Compartilhar