Enquanto João Azevêdo, Cícero, Aguinaldo e Efraim cumprem agenda juntos, oposição liderada por Romero se reúne de olho em 2022

Enquanto o governador João Azevêdo (Cidadania) participava na manhã desta segunda-feira (21) do lançamento de um pacote de obras e investimentos para João Pessoa, ao lado do prefeito Cícero Lucena (Progressistas), a oposição estadual esteve reunida para traçar estratégias de olho nas eleições de 2020. Os encontros movimentam a política paraibana no início desta semana e clareiam as movimentações de ambos agrupamentos, mesmo em meio à pandemia.

Imagem: Reprodução

João Azevêdo, convidado por Cícero para a solenidade, esteve ao lado de Aguinaldo Ribeiro (Progressistas) e Efraim Filho (Democratas), deputados federais e pré-candidatos ao Senado Federal. Eles disputam internamente a indicação para compor a chapa à reeleição do governador. Cícero torce por Aguinaldo e Efraim tem mais de 100 prefeitos em sua base. A escolha só deverá acontecer em 2022, pois o foco neste momento é o combate à Covid-19, segundo o próprio Azevêdo.

A oposição, por sua vez, sentou com o ex-prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSD), e o deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB), pré-candidatos ao Governo do Estado. Apareceram no encontro, além de Romero e Pedro, dois possíveis candidatos ao Senado: o secretário da Modernização do Estado do Governo Federal, o pastor Sérgio Queiroz (sem partido) e o comunicador Nilvan Ferreira, ex-candidato a prefeito de João Pessoa e presidente estadual do PTB; o deputado federal licenciado Ruy Carneiro (PSDB); o deputado federal em exercício, Léo Gadelha (PSC); os deputados estaduais Walber Virgolino (Patriota), Anderson Monteiro (PSC), Camilla Toscano (PSDB), Tovar Correia (PSDB) e Cabo Gilberto (PSL). Esse grupo ligado ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deve confirmar o nome que disputará o cargo de governador nas próximas semanas, disse Romero Rodrigues.

No entanto, algumas ausências foram sentidas. O ex-prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV), que deve compor chapa com partidos de centro-esquerda a exemplo do PSB do ex-governador Ricardo Coutinho, e a senadora Daniella Ribeiro (Progressistas) que, em favor do irmão pré-candidato a senador, deve deixar a oposição e aderir ao projeto de reeleição de João Azevêdo.

A oposição ligada a Ricardo Coutinho segue sem nome para a disputa pelo Governo do Estado nem com reuniões públicas para tratar do próximo pleito. Coutinho trabalha para ser candidato a senador em uma chapa que inclua PT, Rede, PSB, PV, PSOL e PCdoB, mas a maioria desses partidos estão com o governador.

Redação Paraíba Debate

Veja também:

Compartilhar