Morre no Paraná, o escritor e historiador Josué Syvestre; Prefeitura de Campina decreta luto de três dias

O prefeito Bruno Cunha Lima externou sua tristeza na manhã desta terça-feira, 22, pela morte do jornalista, escritor e historiador Josué Sylvestre, em Curitiba (PR) e decretou luto oficial de três dias em Campina Grande. No próximo dia 16 de julho, Josué completaria 84 anos de idade e enfrentava problemas decorrentes da diabetes. 

Um dos mais importantes historiadores da Paraíba e de Campina Grande, Josué Sylvestre tinha uma relação de amizade de décadas com a família de Bruno Cunha Lima. Era amigo pessoal do avô do prefeito, Ivandro Cunha Lima, de quem foi assessor no Senado Federal. “Era meu avô adotado e meu melhor amigo mais velho”, sintetiza Bruno.

Josué Sylvestre ficou famoso com obras sobre fatos e personagens da História de Campina Grande e da Paraíba, entre os quais Nacionalismo e Coronelismo; Da Revolução de 30 à queda do Estado Novo; Tempo de rir; Meio século de vida pública sem mandato ou com? Fatos e personagens da história de Campina Grande e da Paraíba (1950-2000).

Josué Sylvestre nasceu em Carpina (PE) e foi membro da Associação Nacional de Escritores, da Academia Evangélica de Letras do Brasil (Rio de Janeiro), da Academia de Letras de Campina Grande e do Instituto Histórico e Geográfico de Campina Grande.

O prefeito Bruno Cunha Lima já tinha decidido que a Fundação do Patrimônio Histórico de Campina Grande, que está em gestação no âmbito do governo municipal, seria batizada de Historiador Josué Sylvestre. “É incomensurável o valor da colaboração intelectual de Josué para a história de Campina Grande, imortalizada em suas obras”, observa Bruno, que teve chance de prestar homenagem ao escritor em 2013, como vereador, com a concessão da Medalha de Honra ao Mérito Municipal.

Compartilhar