Ministério Público investiga policiais e bombeiros que se recusaram a tomar vacina contra a Covid-19, na Paraíba

O Ministério Público da Paraíba está investigando um grupo de policiais e bombeiros que se recusou a tomar vacina contra a Covid-19. São cerca de 500 policias e bombeiros que rejeitaram a imunização, de acordo com informações que chegaram ao MPPB.

Em nota enviada a um portal de notícias, nesta terça-feira (6), o coordenador do Núcleo de Controle Externo da Atividade Policial (Ncap), promotor de justiça Guilherme Lemos, informou que tomou conhecimento do assunto e que o órgão do Ministério Público da Paraíba deve avaliar a questão, a fim de verificar se há medidas legais a serem tomadas nesse caso.

Profissionais da força de segurança como policiais militares, policiais civis e bombeiros estão incluídos como prioritários no Plano Nacional de Imunização (PNI), mas há relatos em diversos estados de que muitos estão se recusando a imunização.

A Secretaria da Segurança e da Defesa Social (Sesds) declarou, em nota enviada ao ClickPB, que, em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde, está aplicando doses de vacina contra o coronavírus nos servidores das Forças de Segurança, empenhados diretamente no enfrentamento à pandemia, de acordo com o que determina o Plano Nacional de Imunização (PNI). Até sexta-feira (9), será finalizado o processo de vacinação da primeira dose para os policiais e bombeiros da ativa, e finalizado o levantamento por parte de cada órgão – Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros Militar, com a quantidade de vacinas aplicadas. A Sesds informa ainda que a imunização é facultada a esses servidores. As doses oferecidas e não aplicadas serão remetidas à Secretaria de Estado da Saúde.”

Com informações do ClickPB

Compartilhar