Com dinheiro na conta, prefeito de Esperança não paga professores; categoria faz carreata

O Sintab Esperança realizou na manhã desta quinta-feira, dia 15, carreata pelas ruas da cidade, com o objetivo de pressionar a prefeitura a liberar os recursos do FUNDEF. O evento contou com a presença de centenas de professores e servidores da educação, e aconteceu respeitando os protocolos sanitários.

O Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef) destina 60% dos recursos para professores e 40% para investimentos na educação pública da cidade.

Os valores já estão disponíveis nas contas da Prefeitura de Esperança, mas a gestão se recusa a cumprir acordo
homologado pela Justiça. “A luta vale a pena, o dinheiro chegou e agora o prefeito deve cumprir a lei. É o
que diz a Lei 14.057/2020″, disse Giovanni Freire, presidente do Sintab. E lembrou aos professores o risco de testemunhar um estelionato eleitoral: “As vésperas da eleição muitos acreditaram no que o prefeito prometeu e decidiram o seu voto ali porque ele estava assinando o acordo”, concluiu.

A carreata iniciou sua concentração no Campo da Rodoviária, onde seguiu em percurso pelas principais ruas da cidade para alertar a população sobre a causa. A primeira parada aconteceu no Centro Administrativo e seguiu para encerramento em frente a Secretaria de Educação.

O diretor do Sintab Esperança, Alexsandro de Almeida, disse que os professores não aceitarão o golpe. “Quem é que celebra um acordo e quando passa as eleições não quer cumprir o acordo?”, criticou. “Não pagar agora é dar um golpe nos professores! Foram 6 anos de luta na justiça e ganhamos, inclusive com a aprovação da Lei 14.057 que diz que 60% vai para o magistério”, explicou Alexsandro.

Foram depositados nas contas da Prefeitura de Esperança, R$ 7 milhões, dos quais, R$ 4,2 devem ser destinados aos professores. Para mais informações sobre os precatórios do FUNDEF em Esperança, entre em contato pelo fone (83) 9-9861-9836.

Compartilhar