Senado deve gastar R$ 511 mil para trocar móveis de 6 imóveis funcionais dos parlamentares

O Senado Federal abriu um pregão eletrônico para a substituição de móveis que, segundo o edital em andamento, estão sem condições de uso nas casas de senadores em Brasília – cinco apartamentos funcionais , além da residência oficial da presidência do Senado, ocupada hoje por Rodrigo Pacheco (DEM-MG). O preço total da compra está estimado em até R$ 511.735, ou meio milhão de reais, para trocar alguns móveis das seis unidades.

A licitação é por pregão eletrônico e, portanto, o valor da compra deve ser menor do que o máximo estipulado no edital, já que ganha a fornecedora que apresentar o valor mais baixo pelos itens. 

Atualmente, de acordo com dados do Senado, 65 senadores ocupam imóveis funcionais, sendo 64 apartamentos e a residência oficial da Presidência. Pelos itens da compra, apesar de não especificado no edital, cerca de 10% dos imóveis ocupados devem receber renovação na área social, sendo, cada um, três sofás, de dois, três e quatro lugares; mesa para copa com quatro cadeiras; mesa de jantar com 10 cadeiras cada; mesas de centro; mesas laterais; e aparador. 

O valor unitário de cada móvel indica mobiliário de alta qualidade: um sofá de três lugares tem preço estimado em R$ 10,8 mil; um aparador, em R$ 7.600; e um conjunto de mesa de jantar e dez cadeiras tem preço total de R$ 23.697.

Ao todo, está prevista a compra de 12 aparadores para sala, 40 cadeiras sem braço para sala de jantar, 10 cadeiras com braço para sala de jantar, 5 sofás de dois lugares, 5 sofás de três lugares, 5 sofás de quatro lugares, 5 mesas para copa com quatro cadeiras cada, 8 mesas de centro, 5 mesas de jantar e 12 mesas laterais.

A manutenção de apartamentos funcionais em Brasília, destinados a parlamentares que moram em outros Estados e passam poucos dias da semana na capital, é alvo de críticas há muitos anos. Os imóveis são inteiramente bancados com dinheiro do pagador de impostos, que também desembolsa para móveis, como indica o edital, e toda a manutenção, como limpeza e reformas.

Os senadores podem optar por auxílio-moradia, de R$ 5.500, para pagar aluguel de imóveis ou diárias em hotéis quando estão em Brasília mediante apresentação da nota fiscal emitida pelo hotel ou recibo pelo locador do imóvel residencial ocupado pelo parlamentar.

Fonte: R7

Compartilhar