Com apenas dois anos, casas do Complexo Aluízio Campos já apresentam rachaduras e infiltrações

O conjunto habitacional Aluízio Campos, no bairro Ligeiro, em Campina Grande, recentemente entregue pela gestão Romero Rodrigues, já acumula sérios problemas de rachaduras e infiltrações em alguns apartamentos, o que tem causado preocupação e medo de que haja desabamento. O problema está acontecendo no bloco 1, no condomínio Marinês, onde estão localizados três blocos de apartamentos verdes.

A moradora Rejane Lira, do apartamento 404, no terceiro andar, registrou tudo em fotos e levou o fato nesta quarta-feira (11) ao conhecimento da Defesa Civil, que ficou de mandar uma equipe para avaliar a situação. Ela fez fotos das rachaduras e infiltrações, e ainda tem um vídeo de algumas explosões numa fábrica/pedreira nas proximidades, que além do perigo de danos às moradias ainda levanta uma grande nuvem de poeira que invade as residências.

“Não sei se as rachaduras estão acontecendo em virtude das explosões que abalam as estruturas do prédio ou se isso já é problema da construção. A verdade é que estamos com medo do prédio cair”, disse Rejane Lira. O citado bloco tem três andares e são 16 apartamentos e ela estima que cerca de 50 pessoas devem morar no setor. De acordo com a moradora, um abaixo assinado deverá ser encaminhado às autoridades pedindo providências para o caso.

O habitacional Aluízio Campos foi entregue em novembro de 2019 pelo então prefeito Romero Rodrigues. São cerca de 4.100 unidades, entre casas e apartamentos, sendo o conjunto um dos maiores núcleos habitacionais do Nordeste.

Fonte: Rede de Notícias

Compartilhar